Será que cola? Campanha vende adesivo anti-Rollemberg a R$ 1

    21
    0
    COMPARTILHAR

    22

    Um real não compra mais um prato de comida nos restaurantes comunitários, mas é o preço do adesivo “Rollemberg nunca mais”. O apetrecho faz parte de uma campanha organizada por alguns moradores do Jardim Botânico, Lago Sul e Vicente Pires.

    Leonardo Arruda/Especial MetrópolesOs apoiadores do movimento estão furiosos com a política de desocupação de Rollemberg. “A questão não é a derrubada em si, mas a falta de planejamento das ações do governo”, aponta Wander Azevedo.

    Um dos líderes do movimento, Azevedo foi administrador do Lago Sul durante os últimos dois anos da gestão do petista Agnelo Queiroz. Apesar de ter integrado um dos governos mais mal avaliados da história do DF, o servidor público está à vontade para disparar sua metralhadora de críticas contra Rollemberg: “Segurança, saúde, educação, nada vai bem. Este governador sofre de microcefalia administrativa”.

    Aproveitando a onda de descontentamento dos moradores com o projeto de derrubada/ocupação do governo em alguns endereços do DF, o movimento vendeu 10 mil adesivos em 15 dias. A meta é comercializar, até junho, 100 mil unidades. Também fazem parte do comitê organizador da campanha o jornalista Toni Duarte e a vice-presidente da Associação Comercial do Jardim Botânico, Viviane Fidelis (foto).

    Ainda neste mês, os idealizadores do protesto planejam inaugurar uma página no Facebook. O lançamento está marcado para o dia 23, quando ocorrerá a oficialização da campanha, em um evento na feira do Jardim Botânico, às 10h. Por meio da rede social, os interessados vão poder encomendar os adesivos. Será que vai colar? Fonte: Metropoles.com

     

    Informa Tudo DF