O que já não estava muito bom, vai ficar pior…

    30
    0
    COMPARTILHAR
    MÉDICOS DO SAMU TEMEM REDUÇÃO DO SERVIÇO À METADE
    SECRETARIA DE SAÚDE DIZ QUE O SAMU PASSARÁ POR REFORMULAÇÕES TEMPORÁRIAS, MAS GARANTE QUE O ATENDIMENTO NÃO SERÁ PREJUDICADO
    Os médicos do Serviço de Atendimento de Urgência do DF (Samu-DF) denunciam o corte do atendimento à população pela metade a partir de fevereiro. No total, 30 ambulâncias básicas (com técnicos de enfermagem) e oito avançadas (com médicos) cuidam da população do DF.
    Segundo a Secretaria de Saúde do DF (SES-DF), o Samu passará por reformulações temporárias, mas garante que o serviço não será prejudicado. Segundo a pasta, o fato é devido à devolução de horas extras de profissionais.
    A direção do Samu afirmou que, apesar de a SES ter autorizado novamente as horas extras e ter garantido o pagamento regular a partir desta gestão, os motoristas das ambulâncias e alguns profissionais da enfermagem estariam se recusando a cumprir as cargas além das contratuais. “Devido a isso, as escalas de todo o serviço da capital foi remanejada, inclusive a dos médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem, uma vez que, para que a ambulância preste socorro, é necessário uma equipe completa”, disse a SES em nota.
    A SES explica que, com o novo formato de trabalho, ficam em funcionamento as bases de Ceilândia, Plano Piloto e Neonatal. “Os servidores e ambulâncias das unidades de Taguatinga, Recanto das Emas, Sobradinho e Gama serão transferidos temporariamente para estas, que centralizarão a prestação do serviço”, diz a nota.
    Por fim, a SES diz que nenhum servidor do Samu detém cargos. “Eles apenas cumprem parte de suas cargas horarias em trabalhos de gerenciamento e administração do próprio serviço”, completou.


    Fonte: Diário do Poder