Tesoura em cargo público no Distrito Federal

    18
    0
    COMPARTILHAR

    Rodrigo Rollemberg promete que, se eleito, reduzirá em 60% número de cargos comissionados na capital

    Em seu programa de governo, lançado ontem, o candidato a governador Rodrigo Rollemberg, do PSB, prometeu reduzir o número de cargos comissionados em 60% e declarou “guerra contra a burocracia”. A gestão de Eduardo Campos, em Pernambuco, seria uma das suas inspirações.
    O planejamento do PSB foi feito com base em cinco seminários nas regiões administrativas, com um grupo de especialistas que fez um diagnósticos sobre os problemas enfrentados no DF.
    Referência pernambucana
    Uma equipe do partido viajou a Pernambuco para estudar os progressos da gestão de Eduardo Campos. De acordo com o partido, mais de 2 mil pessoas participaram do debate. No entanto, avisou  que o plano não está 100% finalizado e ainda pode acolher reivindicações.
    Rollemberg lembrou que a ruptura com o governo, dois anos atrás, foi causada por discordâncias com as prioridades adotadas pelo PT. Com isso, se deu início ao estudo sobre os problemas que a cidade enfrenta. Daí surgiu o plano de governo, divulgado ontem.
     No documento, a proposta não entra em detalhes, mas traz a promessa de desburocratizar os processos do governo e de implantação de um governo eletrônico. “Trata-se de fazer mais e melhor com menos recursos, a partir do alinhamento das ações de governo com o planejamento estratégico, os recursos disponíveis e as entregas esperadas pela sociedade”.
    Apesar de confiante no sucesso das candidaturas do PSB, Rodrigo Rollemberg admite que uma das dificuldades enfrentadas na campanha é o desconhecimento de boa parte da população em relação a Eduardo Campos. Mesmo tendo sido o governador com melhor avaliação em todo o País, Campos ainda precisa mostrar suas realizações, de acordo com o candidato a governador do DF. “À medida que ele tiver oportunidade de ser mais conhecido, de se apresentar, mostrar o que fez em Pernambuco e sua capacidade de gestão, ele vai crescer.
    Com Eduardo Campos
    “Aqui em Brasília”, garantiu Rodrigo nós temos muito entusiasmo pela candidatura dele e de Marina Silva”, disse. Campos aparece com 8% das intenções de voto, atrás de Dilma Rousseff (PT), 36%, e Aécio Neves (PSDB), 20%, segundo  a última pesquisa do Datafolha.
    Autoridade para professores
    Entre as promessas de Rollemberg estão a ampliação da atenção básica à saúde e da educação integral. O candidato também quer dar tratamento diferenciado a quem trabalha em sala de aula. “No meu governo, professor será autoridade”, prometeu. As prioridades do governo foram elencadas em 15 temas. Além dos tradicionais, saúde, segurança pública e educação, também estão listadas gestão, mobilidade urbana, cultura, meio ambiente, infraestrutura, planejamento, assistência social, entre outros. A coligação de Rollemberg também conta com PDT, PSD e Solidariedade.
    Agnelo promete mais moradias
    Líderes de movimentos ligados à habitação do Distrito Federal reunira-se,  ontem, com o candidato à reeleição Agnelo Queiroz (PT), para declarar apoio ao governador, após quatro anos de campanhas de moradia da atual gestão.
    “Estamos sempre dialogando com o setor da habitação, que luta por moradia há tantos anos no Distrito Federal e que agora no nosso governo tiveram acesso a uma nova política habitacional de casas e apartamentos com infraestrutura e documentação. Conseguimos revolucionar ao nos cadastrar no Minha Casa, Minha Vida. Fizemos 100 mil unidades habitacionais, zerando a lista e queremos continuar com ofensividade essa política vitoriosa”, declarou Agnelo Queiroz.
    O governador foi recebido por ex-membros e atuais gestores da Secretaria de Habitação, que aproveitaram para ressaltar a parceria feita com o governo federal, lembrando que as gestões passadas não estavam inscritas no programa.
    Mudança à última hora
    A reunião que deveria ter sido realizada no auditório da LBV teve de ser transferida as pressas para o Teatro dos Bancários, por conta de uma liminar, segundo os organizadores, do Tribunal Regional Eleitoral, após uma denúncia anônima.
    De acordo com o candidato a deputado distrital Dirsomar Chaves (PT), a liminar proibia que o encontro ocorresse no auditório, mesmo sendo alugado, por se tratar de  entidade filantropica, não poderia abrigar um evento de caráter eleitoral.
     Os militantes que já estavam dentro do auditório tiveram que sair e se deslocar, boa parte a pé, para o teatro, a cerca de dois quilômetros.
    O que está no texto
    É proposta para a segurança pública a reestruturação das carreiras do setor, tanto civis quanto militares.
    No evento, o candidato do PSB prometeu que a ingerência política nas corporações não existirá e que “o comandante da PM não será indicação de deputado distrital”.
    O programa de governo proposto pelo PSB pode ser acessado na íntegra pelo site www.dfemdebate.com.br.
    Na página de Rodrigo Rollemberg no Facebook, há uma versão resumida, falando sobre todos os pontos.

    Fonte: Da redação do Jornal de Brasília