Início Brasil A morte de 3 crianças carbonizadas! Triângulo amoroso pode ser motivo de...

A morte de 3 crianças carbonizadas! Triângulo amoroso pode ser motivo de morte de crianças em incêndio

162
0
COMPARTILHAR

Triângulo amoroso pode ser motivo de morte de crianças em incêndio

Atual namorado de um dos pais das vítimas foi amante do outro pai, que está preso por suspeita de cometer o crime na Grande SP

Ricardo tinha como amante o homem que hoje é o namorado de seu ex-companheiro

REPRODUÇÃO / FACEBOOK

Um triângulo amoroso pode estar por trás da motivação da morte de três crianças em um incêndio dentro de casa em Poá, na Grande São Paulo. Um dos pais das vítimas, Ricardo Reis de Faria e Vieira, de 33 anos, está preso sob suspeita de ter provocado o incêndio. A polícia investiga por que as crianças estavam trancadas no quarto e por que ele não arrombou a porta.

Ricardo foi companheiro de Leandro Vieira por 16 anos. O relacionamento terminou há três meses por conta de uma traição de Ricardo, que se relacionou com um outro homem por cerca de um ano. Leandro descobriu e terminou tudo. Hoje, Leandro tem um novo relacionamento, justamente com o ex-amante de Ricardo.

A polícia investiga se a relação pode ter motivado o possivel crime. A expectativa é ouvir essa semana parentes, amigos e outras testemunhas sobre a relação.

Ricardo, que acionou a polícia, deu diferentes versões para o incêndio e chegou a dizer à polícia que o responsável seria o atual namorado de Leandro.

A polícia entrou novamente na casa e levantou pistas importantes que reforçam a hipótese de crime. Além da porta do quarto, a porta do banheiro da suíte onde as vítimas dormiam estava trancada, reduzindo assim, as rotas de fuga das chamas. As chaves do quarto também não foram encontradas.

O delegado responsável pelas investigações, Eliardo Amoroso Jordão, contou ao Cidade Alerta, da Record TV, que com a polícia está um molho de chaves em que deveria, mas não está, a chave do quarto. A polícia também investiga qual era o remédio que Ricardo alega ter tomado naquela noite. Ele chegou a dizer que chegou a ouvir os gritos da filha mais velha, Fernanda, de 14 anos, mas chegou a dizer que não sabia dizer se se tratava de um sonho. Ele também chegou a alegar que as crianças haviam sido raptadas. A família morava há seis meses na casa, que passou por reformas e teve a parte elétrica refeita, segundo a polícia.

Câmeras podem esclarecer a morte de crianças em incêndio em Poá

Polícia Civil quer usar imagens da vizinhança para saber o momento exato que pai deixa a casa; suspeito continua preso

Ricardo, pai das crianças, não tentou arrombar a porta do quarto quando incêndio começou

Imagens de câmeras de segurança da casa vizinha ao local do incêndio que matou três crianças em Poá, na Grande São Paulo, serão investigadas pela Polícia Civil. O objetivo é saber o momento exato em que Ricardo Reis de Faria e Vieira, de 33 anos, deixa o imóvel para pedir socorro. Já é possível afirmar que o pai, que está preso temporariamente suspeito de matar os filhos, não tentou arrombar a porta do quarto.

A polícia esteve na tarde desta quinta-feira (18) na residência para ter acesso às imagens, segundo a Record TV. A gravação pode esclarecer a dinâmica e os horários do crime.

polícia também analisa um vídeo gravado pouco antes da morte por Fernanda, de 14 anos, uma das vítimas de incêndio. A adolescente sonhava em ser blogueira. As imagens mostram a menina brincando com um dos irmãos e um gato e a porta do quarto fechada, mas sem chave.

O fogo provocou também a morte de Gabriel, de 9 anos, e Lorenzo, que iria completar 2 anos. Uma vizinha ouviu a adolescente dizendo: “Pai, não me deixa morrer aqui”.

Segundo o delegado responsável pelo caso, Eliardo Amoroso Jordão, ele recebeu imagens das chaves de cada cômodo da casa e fotos das portas, que serão analisadas. Os investigadores também vão avaliar mensagens trocadas entre Fernanda e os dois pais, Leandro e Ricardo.

Prisão do pai

A polícia tem os 30 dias da prisão temporária de Ricardo para concluir as investigações. Mas pode pedir a prorrogação da prisão ou transformá-la em preventiva. “São varios detalhes que a gente, ao longo desses dias, vai esclarecer”, diz o delegado Jordão.

Entre a série de inconsistências a serem esclarecidas está o motivo do quarto das crianças estar trancado. Segundo o ex-companheiro de Ricardo e também pai das crianças, Leandro, a família não tinha o hábito de trancar os cômodos. A polícia também tenta entender porque a criança de 2 anos, que não costumava dormir naquele quarto, estava ali na noite do incêndio.

Na quarta-feira, a polícia apreendeu um celular no quarto das crianças, parcialmente danificado em razão das chamas. O aparelho está com a perícia.

A polícia analisa também a necessidade de se realizar uma reconstituição do crime.

Versões diferentes

No dia do incêndio, Ricardo, aparentemente transtornado, chegou a dizer que os filhos teriam sido raptados e, por isso, não estariam dentro da casa. Ele disse que o responsável pelo incêndio poderia ser o atual namorado do ex dele. Segundo os investigadores, Ricardo também chegou a sugerir que a adolescente poderia ter provocado as chamas.

Ricardo, que era o tutor das crianças e único sobrevivente do incêndio, chegou a dar três versões para o ocorrido. Em uma delas, disse que os filhos teriam sido levados de casa por uma outra pessoa. A atitude suspeita fez com que ele fosse encaminhado à delegacia.

Ele foi casado com Leandro, de 36 anos, por quase 16 anos. Juntos, os dois formaram uma família. Nos últimos três meses, no entanto, a relação do casal teria sido abalada após uma traição de Ricardo e os dois passaram a viver em casas separadas e compartilhar a guarda dos filhos adotivos.

O caso foi registrado como homicídio qualificado pela delegacia de Poá.

Polícia vai analisar vídeo gravado por menina antes de incêndio

Imagens registradas por Fernanda, de 14 anos, poderão esclarecer circunstância de sua morte e de seus dois irmãos em Poá

Crianças foram adotadas pelo casal

REPRODUÇÃO/RECORDTV

A polícia vai analisar um vídeo gravado pouco antes de morrer pela adolescente Fernanda, de 14 anos, uma das vítimas de incêndio que atingiu a casa onde morava, em Poá, na Grande São Paulo, na quarta-feira (18). A informação é da Record TV.

O fogo provocou também a morte dos dois irmãos da garota, Gabriel, de 9 anos, e Lorenzo, que iria completar 2 anos. O pai das crianças, Ricardo Reis de Faria e Vieira, de 33 anos, teve prisão temporária decretada pela Justiça, sob suspeita de causar as chamas.

O vídeo gravado por Fernanda, que sonhava em ser blogueira, pode ajudar a esclarecer as circunstâncias da morte. As imagens mostram a menina brincando com um os irmãos e um gato e a porta do quarto fechada, sem chave. A porta aparentemente fechada por fora pode ajudar a esclarecer a situação. Fernanda publicou as imagens nas redes sociais, momentos antes do incêndio.

Delegado Eliardo Amoroso Jordão, responsável pelo caso

A polícia ainda precisa confirmar o momento exato da gravação e entender como o vídeo ajuda a esclarecer a dinâmica no espaço, segundo o delegado responsável pelo caso, Eliardo Amoroso Jordão. Ele recebeu imagens das chaves de cada cômodo da casa e fotos das portas, que serão analisadas.

Um detalhe que, segundo o delegado, chama muito a atenção é que o pai não tentou arrombar a porta para salvar as crianças.

Imagens de câmeras de segurança da casa de uma vizinha também serão investigadas, por mostrarem o momento em que Ricardo sai da casa para pedir socorro. A polícia esteve na tarde desta quinta-feira (18) na residência para ter acesso às imagens, segundo a reportagem do Cidade Alerta, da Record TV. A imagem pode esclarecer os horários do crime.

Logo após a ida à residência, a polícia seguiu para o Conselho Tutelar, por ter recebido denúncias de que as crianças sofriam maus tratos. Os investigadores vão avaliar mensagens trocadas por Fernanda com os dois pais, Leandro e Ricardo.

A polícia conta com os 30 dias de prisão temporária do pai das crinaças para realizar dentro deste prazo  investigações que para basear a decisão de soltá-lo, de prorrogar a prisão ou de transformá-la em prisão preventiva. “São varios detalhes que a gente, ao longo desses dias, vai esclarecer”, diz o delegado Jordão.

Entre a série de inconsistências a serem esclarecidas está o motivo do quarto das crianças estar trancado. Segundo o ex-companheiro de Ricardo e também pai das crianças, Leandro, a família não tinha o hábito de trancar os cômodos. A polícia também tenta entender porque a criança de 2 anos, que não costumava dormir naquele quarto, estava ali na noite do incêndio.

Na quarta-feira, a polícia apreendeu um celular no quarto das crinaças, parcialmente danificado em razão das chamas. O aparelho está com a pericia para ter acesso às mensagens.

‘Dilacerado’, diz ex de suspeito de matar filhos em incêndio em Poá

Leandro estava separado há três meses de Ricardo, que teve prisão temporária decretada. ‘Só quero que ele fale a verdade’, desabafou

Fernanda, de 14 anos, Gabriel, de 9, e Lorenzo, de quase 2 anos, morreram no incêndio

Fernanda, de 14 anos, Gabriel, de 9, e Lorenzo, de quase 2 anos, morreram no incêndio

O ex-companheiro do homem preso sob suspeita de matar os três filhos em um incêndio em Poá, na Grande São Paulo, se definiu como ‘dilacerado’. O fogo consumiu a casa, localizada na rua Bernardo Pinheiro Franco, na Vila Real. por volta das 5h desta quarta-feira (17).

Em uma publicação nas redes sociais, Leandro Vieira comenta como se sentiu no enterro de Fernanda, de 14 anos, Gabriel, de 9, e Lorenzo, prestes a completar 2 anos. Os corpos foram sepultados na quinta-feira (17), no Cemitério da Paz de Poá. Ver essa foto no Instagram

“E apenas uma palavra resume este meu sentimento “DILACERADO”. Hoje, foi o dia mais terrível da minha vida… eu enterrei meus 3 filhos de uma única vez. Foram 3 caixões e eu não podia ficar ao lado de nenhum”, disse Leandro. Ele adotou as três crianças ao longo dos 16 anos de relacionamento que manteve com Ricardo Reis de Faria e Vieira, de quem se separou há três meses.

Ricardo teve prisão temporária decretada pela Justiça após contar à polícia diferentes versões sobre o crime. Também chamou a atenção o fato de ele não ter tentando arrombar a porta do quarto onde estavam as três crianças.

http://recordtv.r7.com/cidade-alerta/videos/policia-investiga-o-crime-que-deixou-duas-criancas-e-uma-adolescente-mortos-18022021

De acordo com o Corpo de Bombeiros, o incêndio atingiu principalmente o quarto onde estavam a adolescente e as duas crianças. O primeiro chamado foi feito por uma mulher que mora na vizinhança, ouviu os pedidos de socorro e viu as chamas. Segundo a vizinha, Fernanda gritava: “Pai, não me deixa morrer aqui”.

Um vídeo publicado nas redes sociais pela garota momentos antes do incêndio mostra o irmão e um gato no quarto e a porta fechada, sem a chave. A polícia investiga se a porta estava trancada pelo lado de fora. Há uma série de contradições a serem esclarecidas, especialmente por conta da incoerência do discurso do pai preso.

Procurado pela Record TV, Leandro, o outro pai das crianças disse que não sabe o que pensar e que espera que o ex-companheiro diga a verdade. “Não sei o que pensar sobre o Ricardo, não tive contato com ele, só sei que perdi meus filhos e é dificil pensar que isso possa ter sido calculado. Gostaria que qualquer coisa não apontasse pra ele, mas não sei o que pensar. Só quero que ele fale a verdade”, desabafou. “Quero que ele conte a verdade, o que de fato aconteceu, de forma clara. Tudo o que de fato aconteceu.” Fonte: r7