Início Notícias Brasil O último adeus ao “Senti firmeza, Demacol”

O último adeus ao “Senti firmeza, Demacol”

659
0
COMPARTILHAR

DF se comove com morte de Adriano, o “Senti firmeza, Demacol”

O icônico garoto-propaganda de uma loja de materiais de construção ficou conhecido por bordão que se tornou sucesso na cidade

ReproduçãoREPRODUÇÃO

08/10/2019 17:48,ATUALIZADO 08/10/2019 18:33

Brasília se despediu, na última semana, de um dos personagens mais icônicos da capital federal nos anos 1990: Adriano dos Santos Lázaro, 49 anos. Conhecido pelo seu bordão, “Senti firmeza, Demacol”, o garoto-propaganda da loja de materiais de construção ganhou o público brasiliense com seu carisma logo na primeira aparição, em 1983. Nos últimos anos, Lázaro sofria com problemas de saúde. Chegou a ser internado, mas morreu no hospital, na madrugada do dia 28 de setembro.

Após a notícia da morte de Adriano, as redes sociais logo foram tomadas por mensagens de despedida ao garoto-propaganda que marcou época. De pessoas próximas à família a admiradores do seu trabalho, as publicações emocionaram os familiares do morto. “Foi muito bom ver que as pessoas gostam dele e que faz parte da história de muita gente. Um querido e reconhecido por onde morou. Fiquei feliz pelas mensagens que eu recebi”, disse a filha, Érika Adriana Vieira, ao Metrópoles.

Segundo Érika, o pai já apresentava saúde debilitada quando precisou ser internado. “Ele ficou no Hospital Regional do Paranoá por uma semana e precisou ser transferido para outro hospital, mas não resistiu”, conta. O velório de Adriano ocorreu no dia seguinte à sua morte.

Confira as manifestações nas redes sociais:

Propaganda de sucesso

O sucesso da propaganda começou com o publicitário Marcio Pinheiro, criador do bordão. O primeiro contato com Adriano ocorreu quando ele ainda era um adolescente. “Ele era lavador de carro no Radio Center, onde funcionava minha agência de publicidade. Eu havia sido contratado para fazer uma campanha para a Demacol e queria fazer algo diferente. Decidi popularizar a marca e vi nele uma boa oportunidade”, conta.

De acordo com Pinheiro, os proprietários da empresa logo investiram na parceria, que dura até os dias de hoje. “Em 1983 foi o primeiro comercial. Firmamos um contrato, e ele recebia entre um ou dois salários mínimos. Durante essa fase final, a empresa deu toda assistência ao Adriano e aos familiares.”

Veja o comercial:

Também pelas redes sociais, a Associação Comercial de Ceilândia (Acic) lamentou a perda de um dos personagens mais conhecidos da cidade. “Nego Black, como era chamado, era um camarada sensacional. Chamou a atenção dos consumidores para a força e os preços de um dos ramos de negócio que crescia com Ceilândia”, disse a Acic. Adriano ficou tão caricato que virou até boneco. O personagem foi usado para representar a empresa Demacol no aniversário de Ceilândia em março de 2018.

Colaborou Marc Arnoldi, Fonte: metropoles

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here