Secretário-geral da Câmara Legislativa também é preso na Lava Jato

    12
    0
    COMPARTILHAR

    Além do ex-senador Gim Argello (PTB), também foram presos pela Polícia Federal em Brasília o secretário-geral da Câmara Legislativa, Valério Neves, e Paulo Roxo. A prisão ocorreu na manhã desta terça-feira (12/4). Os dois têm mandados de prisão temporária. Logo após a prisão, a Mesa Diretora da Casa anunciou a exoneração de Neves.

    A 28ª fase da Lava Jato apura denúncias de que o ex-senador teria recebido propina para não convocar empreiteiros para depor na CPI da Petrobras, em 2014. O dinheiro teria sido repassado para campanhas eleitorais.Valério Campos Neves veio para Brasília em 1976. É servidor de carreira da Companhia Energética de Brasília (CEB) e foi professor universitário. Deixou a vida acadêmica a pedido do então governador Joaquim Roriz, em 1989, para entrar no Governo do DF. Foi subsecretário de Finanças da Secretaria de Fazenda; chefe de Gabinete de Roriz; e secretário de Relações Institucionais.

    Paulo Roxo é, oficialmente, empresário na área de publicidade. Atua nos bastidores da política local e já foi citado por Durval Barbosa, delator da Caixa de Pandora, como um dos operadores do esquema de arrecadação de propina

    De acordo com o procurador da República Athayde Ribeiro Costa, que integra a força-tarefa da Lava Jato, o lobista Paulo Roxo e Valério Neves atuavam como operadores junto à construtora UTC, recebendo dinheiro de propina que seria utilizado no financiamento de campanhas eleitorais no DF. fonte: metropoles.

    Informa Tudo DF

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Please enter your comment!
    Please enter your name here