Com críticas ao governo Rollemberg PSOL volta à propaganda na TV

    28
    0
    COMPARTILHAR

    22
    Clima de campanha. PSOL volta à propaganda partidária com críticas ao governo Rollemberg.

    Com o slogan “Brasília precisa de Governo. Brasília precisa do PSOL”, legenda cobra promessas feitas pelo socialista na época da eleição nas áreas de mobilidade urbana, saúde e direitos humanos. Programas vão ao ar na noite desta quarta-feira (13/1)

    Depois de ficar dois anos fora dos programas gratuitos de propaganda partidária, o PSOL do DF retorna ao ar nesta quarta-feira (13/1). Com o slogan “Brasília precisa de governo. Brasília precisa do PSOL”, a legenda escolheu três temas para a estreia: mobilidade urbana, saúde pública e direitos humanos. Todos trazem uma carregada crítica ao governo de Rodrigo Rollemberg (PSB).

    O presidente do PSOL no DF, Antônio Carlos de Andrade, o Toninho, destaca que a avaliação do partido sobre o primeiro ano de gestão do socialista no comando do GDF “não foi boa”. De acordo com ele, que disputou o primeiro turno das eleições de 2014 para o cargo de governador, “o Rodrigo tinha solução para todos os problemas do DF na campanha. E agora?”

    No mês de janeiro serão veiculadas 10 inserções do partido. Os temas foram escolhidos a dedo. No de mobilidade urbana, a legenda cobra a tarifa zero e critica as falhas no BRT. A ampliação do metrô e a integração também são destacadas como promessas que não saíram do papel.

    No vídeo sobre saúde pública, integrantes do partido destacam a crise no setor e a proposta de privatização. Além disso, questionam o fracasso do programa saúde em casa.

    Por fim, na peça destinada aos direitos humanos, a violência contra a mulher e a ausência de políticas para os grupos LGBT ganham destaque.

    Eleito em novembro do ano passado para comandar o partido no DF, Toninho disse que entre suas primeiras ações “foi correr no Tribunal Regional Eleitoral para solicitar a inserção da legenda na propaganda partidária gratuita”. “Somo legalizados e temos direito”, afirmou.

    Sobre questionamentos em relação ao processo que culminou com a sua eleição, ele garantiu que está tudo “superado”. Fonte: Metrópoles.com.

    Informa Tudo DF