InícioBrasilReforma na previdência dos servidores traz alívio financeiro ao DF

Reforma na previdência dos servidores traz alívio financeiro ao DF

Com reorganização do sistema que paga aos aposentados, Executivo contará com um aporte extra de R$ 1,9 bilhão

SAULO ARAÚJO, DA AGÊNCIA BRASÍLIA

O governo de Brasília contará com um aporte de R$ 1,9 bilhão para cobrir despesas com aposentadoriasaté o fim de 2018.

O recurso extraordinário virá da reorganização dos fundos previdenciários do Distrito Federal, engenharia aprovada na madrugada desta quarta-feira (27), na Câmara Legislativa, como parte das mudanças a serem promovidas para modernizar o sistema.

Com a instituição do fundo solidário garantidor — que funcionará para cobrir eventuais rombos previdenciários —, o Executivo passará a usar os rendimentos do fundo unificado (fusão do financeiro com o capitalizado).

“(Com a reforma) ganham os servidores públicos, em função dessa segurança, e ganha a cidade, pois vamos garantir a retomada do desenvolvimento”Rodrigo Rollemberg, governador de Brasília

Para o governador Rodrigo Rollemberg, os recursos vão, além de dar segurança aos aposentados, proporcionar crescimento econômico.

“Vamos reestruturar a previdência e garantir o pagamento em dia aos aposentados, aos servidores e às empresas terceirizadas. Ganham os servidores públicos em função dessa segurança, e ganha a cidade, pois vamos garantir a retomada do desenvolvimento econômico”, afirmou.

Pelas contas da equipe econômica, os juros devem render R$ 950 milhões até dezembro de 2018. A reserva superavitária não será mexida.

Soma-se a isso o fato de o governo deixar de fazer contribuições patronais extraordinárias para conseguir pagar aos inativos todos os meses.

Segundo o diretor-presidente do Instituto de Previdência dos Servidores do DF (Iprev), Adler Anaximandro, deixar de efetuar aportes por insuficiência aliviará o caixa do Tesouro em cerca de R$ 960 milhões até o fim do ano que vem.

“Esse aporte tende a diminuir, porque, agora, o próprio regime começa a realizar outras receitas decorrentes da reunião dos fundos e do fundo garantidor”, explicou Anaximandro.

Reestruturação contribui para crescimento econômico

A reforma na previdência dos servidores públicos locais, votada na madrugada dessa quarta-feira (27), na Câmara Legislativa, após mais de 10 horas de sessão, recebeu a aprovação de 14 deputados distritais.

A matéria se sustenta em três pilares:

  • Criação de uma previdência complementar para novos funcionários públicos
  • Unificação dos fundos capitalizado e financeiro
  • Criação de um fundo solidário garantidor, que será abastecido por fontes extraordinárias de receitas

Entre essas fontes estão o fluxo da dívida ativa, parte do lucro de empresas estatais e ativos diversos. A instituição do novo fundo é uma garantia para a cobertura de eventuais rombos no sistema previdenciário.

Com esse mecanismo de proteção às aposentadorias futuras, o Executivo poderá usar os rendimentos do fundo capitalizado — que se juntará ao financeiro — para cobrir o déficit com o pagamento a inativos.

Com a criação da previdência complementar, aqueles que ingressarem na administração distrital após a sanção do projeto de lei complementar terão aposentadorias limitadas ao teto do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) — R$ 5.531,31. O que passar desse valor será arcado pelo servidor.

Todos os meses, o Executivo desembolsa R$ 170 milhões do caixa do Tesouro local para complementar as aposentadorias, recurso que poderá ser destinado a outras áreas.

Descartado parcelamento salarial dos servidores

A operação para dar sustentabilidade ao regime previdenciário do DF traz tranquilidade aos servidores, que conviviam com o receio de terem os proventos parcelados.

LEIA TAMBÉM

O governador Rodrigo Rollemberg.

NOVA PREVIDÊNCIA AJUDARÁ O DF A RETOMAR O DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO

Com a matéria aprovada, essa possibilidade está completamente afastada. O Executivo havia sinalizado que, se a proposta não passasse pelo crivo dos parlamentares, os salários do funcionalismo seriam divididos: 70% seriam depositados no 5º dia útil, e 30%, no dia 15.

EDIÇÃO: VANNILDO MENDES

RELATED ARTICLES
- Advertisment -

Most Popular

Recent Comments