Câmara faz homenagem a Taguatinga. O dia da Cobrança…

    30
    0

    1º) A deputada Sandra Faraj, cobrou do governo obras de grande porte para a cidade.

    2º) O deputado Rafael Prudente aproveitou a presença do administrador, Ricardo Jacobina, para cobrar mais atenção, principalmente com o setor M Norte.

    3º) A diretora da escola Classe 42, Fabíola Nascimento, tambem reclamou e cobrou “A escola está com a mesma estrutura há 38 anos”.

    4º) Por ultimo, o grupo Roda Livre do mestre Cleber, fez uma apresentação de capoeira, e aproveitou para cobrar mais incentivos ao esporte da cidade.

    Câmara faz homenagem a Taguatinga e Jacobina leva puxão de orelhas

    sandrafarajeRafaelTaguatinga foi homenageada nesta segunda-feira (22) durante Sessão Solene da Câmara Legislativa. Por iniciativa do deputado Rafael Prudente (PMDB) a sessão foi realizada na Escola Classe 42, do Setor M Norte, para celebrar os 57 anos de fundação da cidade.

    A cidade nasceu antes de Brasília, em 1957, e recebia os operários que vieram para construir a capital. Antes se chamava Vila Sara Kubistchek, depois Santa Cruz de Taguatinga e por fim só Taguatinga. Hoje a cidade tem mais de 224 mil habitantes.

    Ao abrir a sessão o deputado Rafael Prudente destacou a importância econômica de Taguatinga. “São mais de 12 mil empresas, 100 mil trabalhadores e um comércio muito forte que abastece toda a região, inclusive cidades do Entorno de Brasília”, disse.

    A deputada Sandra Faraj (SD) também participou da sessão e cobrou do governo obras de grande porte para a cidade. “Há mais de 30 anos Taguatinga não recebe uma grande obra. O prometido túnel rodoviário que desafogaria o trânsito no centro está com o projeto pronto, mas não sai do papel; a região precisa de mais infraestrutura”, disse a deputada.

    O deputado Rafael Prudente aproveitou a presença do administrador Ricardo Jacobina para cobrar mais atenção, principalmente no setor M Norte. “O M Norte está no meio de uma polêmica, não se sabe até que ponto do setor é Taguatinga ou Ceilândia, por isso sempre esteve abandonado”, disse.

    O deputado destacou como principal problema da região o escoamento de águas pluviais, que em dias de chuva destroem tudo nas ruas. Os moradores da M Norte reclamam da falta de uma agência bancária, dos Correios, de reforço na iluminação pública, novas áreas de esporte e lazer e a recuperação do asfalto no setor.

    “A Escola Classe 42 está com a mesma estrutura há 38 anos, apenas reformas são realizadas, precisamos ampliar o espaço e as condições de ensino para os mais 600 alunos matriculados”, reclamou a diretora da escola Fabíola Nascimento.

    Antes do encerramento da sessão os deputados e moradores de Taguatinga assistiram uma apresentação de capoeira do grupo Roda Livre do mestre Cleber, que aproveitou para cobrar mais incentivos ao esporte. Com Informações do Notibras.

    Informa Tudo DF