Investimento em saúde bate recorde no DF: R$ 5,5 bilhões

    23
    0

    AGNELO E RAFAELNos últimos três anos, os investimentos na área da saúde atingiram patamares jamais alcançados na história da capital federal. Entre 2011 e 2013, o setor recebeu R$ 5,5 bilhões dos recursos arrecadados pela gestão do governador Agnelo Queiroz (PT).

    Os valores arrecadados no DF, somados com os que são repassado pelo Fundo Constitucional do DF (FCDF) – verba federal que auxilia o DF nas áreas da Saúde, Segurança Pública e Educação- , o governo petista ampliou os investimentos de R$ 7 bilhões para R$ 12,5 bilhões.Se forem analisados apenas os valores arrecadados pelo GDF, além do mínimo exigido por lei, os números ficam ainda mais evidentes. De 2011 a 2013, o valor ultrapassou o limite em mais de R$ 1 bilhão. De acordo com levantamento da Secretaria de Planejamento, a previsão para este ano é que o excedente chegue a R$ 600 milhões.
    Pela Constituição Federal, estados são obrigados a aplicar, no mínimo, 12% da receita oriunda dos impostos em Saúde. Este percentual sobe para 15% no caso dos municípios. Como o DF possui competência tributária cumulativa, ou seja, estadual e municipal é realizada uma base de cálculo específica. Entre 2011 e 2013, R$ 1,18 bilhão foram disponibilizados para a saúde, além do mínimo estipulado para o DF.
    Efeito prático – Na gestão de Agnelo Queiroz foram inauguradas cinco Unidades de Pronto Atendimento (UPA), nove Clínicas da Família, 15 Centros de Atenção Psicossocial (CAPS), reformados 12 Centros de Saúde, criação das Salas Vermelhas nos prontos-socorros da rede e instituída a Classificação de Risco
    Como uma das prioridades dos governos do PT é melhorar a qualidade de vida e acolher justamente a população mais carente, vale ainda ressaltar a importância da recomposição e abertura dos novos serviços de saúde. De 2011 a abril deste ano, já foram contratados mais de 13 mil novos profissionais para a área da saúde. No mesmo período, foram aplicados mais de R$ 70 milhões na aquisição de novos equipamentos.
    Além disso, outros projetos já estão em andamento, como a construção de mais Clínicas da Família, novas UPAs, CAPS e novos hospitais, como o Hospital do Trauma, o Hospital do Câncer, o novo hospital do Gama e a construção do Bloco II do Hospital da Criança de Brasília.

    Fonte: Estação da Notícia