Início Brasília DF: Bombeiro é preso no Paranoá por tentar estuprar garoto de 13...

DF: Bombeiro é preso no Paranoá por tentar estuprar garoto de 13 anos

797
0
COMPARTILHAR

Subtenente dos bombeiros é preso por tentar estuprar garoto no DF

O Metrópoles apurou que a detenção ocorreu segundos após o adolescente entrar no carro do militar, quando ambos seguiriam para um motel

Policiais civis da 6ª Delegacia de Polícia (Paranoá) prenderam, em flagrante, um subtenente do Corpo de Bombeiros do Distrito Federal (CBMDF) por tentar estuprar um adolescente de 13 anos, no sábado (20/2).

Os investigadores já monitoravam o garoto após a mãe dele descobrir mensagens com conteúdo sexual trocada por meio de aplicativo entre o menino e o militar.

Metrópoles apurou que a detenção ocorreu segundos após o jovem entrar no carro do militar. Com o subtenente, os policiais aprenderam um celular onde havia diversos arquivos de fotos e vídeos envolvendo sexo com menores. Alguns deles pertenciam ao garoto que estava em sua companhia.

Além de integrar a corporação, o suspeito dá aula de natação em uma escola privada do Gama. A PCDF investiga se existem outras vítimas.

O bombeiro e o garoto teriam se conhecido por meio de um aplicativo de encontros voltados para o público homossexual. Um inquérito foi instaurado para apurar os fatos e investigar se o militar já havia mantido relações sexuais com outros menores de 18 anos. A reportagem descobriu que, em seu perfil, o adolescente se apresentava como um homem de 18 anos.

A reportagem não irá divulgar o nome do acusado para, assim, preservar a identidade da vítima, conforme estabelece o Estatudo da Criança e do Adolescente (ECA).

Prisão 

O subtenente foi levado para a ala de militares presos que fica no 19º Batalhão da Polícia Militar (BPM), mais conhecido como Papudinha, que fica no Complexo Penitenciário da Papuda. Depois de preso, o militar precisou de atendimento médico, pois teria tentado dar cabo da própria vida.

A reportagem não localizou a defesa do bombeiro detido. Consultado, o Corpo de Bombeiros não havia respondido aos questionamentos até a última atualização deste texto. O espaço permanece aberto.

Fonte: Metrópoles