Início Brasil Denunciado por racismo Bolsonaro passa mal e dá entrada em hospital

Denunciado por racismo Bolsonaro passa mal e dá entrada em hospital

197
0
COMPARTILHAR

Pré-candidato estava voltando de viagem a Roraima

POR O GLOBO

13/04/18 – 19h38 Atualizado: 13/04/18 – 20h54

Jair Bolsonaro (PSL-RJ), deputado federal LEONARDO BENASSATTO / REUTERS

RIO – O pré-candidato do PSL à Presidência da República Jair Bolsonaro deu entrada nesta sexta-feira no Hospital Central do Exército, no Rio de Janeiro. Segundo a sua assessoria de imprensa, Bolsonaro teria passado mal ainda no aeroporto de Roraima, onde se reuniu com lideranças locais.

Ainda de acordo com a assessoria dele, o deputado passou mal por causa do intenso ritmo de trabalho, após passar quase uma hora fazendo uma carreata em Boa Vista sob sol forte.

Também nesta sexta-feira, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, apresentou uma denúncia ao Supremo Tribunal Federal (STF) contra o deputado por racismo. Um dos filhos de Jair, o também deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), foi denunciado, em outro processo, por ameaçar uma jornalista.

Bolsonaro é denunciado no STF pelo crime de racismo

Denúncia com base em discurso de deputado de extrema direita foi feita por Raquel Dodge

Jair Bolsonaro denunciado por racismo
Deputado Jair Bolsonaro no final de 2016.Fabio Rodrigues PozzebomAgência Brasil

O deputado de extrema direita Jair Bolsonaro foi denunciado nesta sexta-feira junto ao Supremo Tribunal Federal sob acusação de ter cometido o crime de racismo. A apresentação da denúncia (acusação formal) foi feita pela procuradora-geral da República, Raquel Dodge. O caso remete a episódio de abril do ano passado, quando, de acordo com a denúncia, o pré-candidato à presidência pelo PSL cometeu o crime de racismo contra quilombolas, indígenas, refugiados, mulheres e LGBTs durante palestra no Clube Hebraica do Rio de Janeiro. Se a acusação for aceita e Bolsonaro condenado, o ex-capitão do Exército que aparece em segundo lugar nas pesquisas de intenção de voto presidenciais poderá cumprir pena de reclusão de um a três anos – o crime de racismo é inafiançável. Além disso, Dodge também pede o pagamento mínimo de R$ 400 mil por danos morais coletivos.

Informa Tudo DF 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here