Início Brasil Acilino conversa com presidenciáveis do PSB; Aldo Rebelo, Beto Albuquerque e Joaquim...

Acilino conversa com presidenciáveis do PSB; Aldo Rebelo, Beto Albuquerque e Joaquim Barbosa e defende candidatura própria

32
0
COMPARTILHAR

O advogado e professor universitário Acilino Ribeiro, membro efetivo do Conselho Nacional de Ética do PSB, Coordenador Regional do MPS no DF e Secretário Nacional de Relações Internacionais, do Movimento Popular Socialista, um dos seis segmentos sociais do PSB e considerado o maior e mais forte segmento do partido, tanto pela amplitude de atuação com vinte e um subsegmentos e setores sociais nas áreas comunitária, ambiental, cultural, esportivo, idosos, sem-terra, sem tetos, imigrantes e refugiados, dentre outros, como pelo grande número de Quadros e lideranças que tem, ao concluir uma maratona de viagens pelo Brasil, em campanha como candidato a Secretário Nacional do MPS, declarou-se satisfeito com o saldo das visitas aos estados e agradecido pelo apoio que recebeu e contabilizou de 106 dos 115 delegados ao Congresso Nacional do MPS – PSB, e avaliou de forma positiva os encontros que teve durante as viagens, e agora ao retornar as conversas com os presidenciáveis do PSB quando esteve recentemente com Aldo Rebelo, Beto Albuquerque e Joaquim Barbosa.

Segundo Acilino, as discussões dentro do PSB para o lançamento ou não de candidatura própria “ é um debate salutar dentro e quero deixar claro minha posição de apoio à candidatura própria.

E somente caso isso não seja aprovado podemos buscar outra coligação. E que seja com os partidos de esquerda”.

Mais adiante afirmou também que se tem que levar em conta as negociações nos estados e se respeitar a estratégia traçada pelos governadores atuais e outros candidatos a governadores do partido, pois o PSB tem entre nove a dez candidatados em condições de ganhar eleições nos estados e não pode se aventurar a uma candidatura presidencial se isso comprometer a eleição dos candidatos a governadores. “Temos que conciliar essas posições”, disse.

Mais adiante afirmou que o partido está numa situação confortável, pois tem opções, dentro e fora e que isso oxigena o PSB. Afirmou que as três correntes que defendem opção fora do PSB são: uma primeira de apoio a uma coligação com o PT desde que Lula fosse o candidato, mas que se enfraqueceu a partir da condenação do ex-presidente Lula era uma opção que o próprio Acilino tinha simpatia, mas que agora tem que ser repensada.

A segunda é a que defende uma coligação com o PSDB no apoio a Geraldo Alkimin a presidente. Que Acilino e os setores mais a esquerda rechaçam veementemente.

E a terceira que seria uma coligação entre vários partidos de esquerda com Ciro Gomes candidato. E que tem muitos adeptos no partido. São teses que se discutem, afirmou.

Mais adiante Acilino explicitou as opções dentro do partido e que se fortalecem a cada dia, disse: “Temos três candidaturas postas. Duas de excelentes companheiros de luta, combativos militantes históricos da esquerda e que dispõem de históricos para uma campanha. Que são: Aldo Rebelo e Beto Albuquerque.

Aldo com um perfil ideológico que agrada a militância de base e o torna um grande general nesta batalha e forte na campanha; e Beto com uma história de luta dentro do PSB e uma experiência histórica, dedicação e sacrifício ao partido que o coloca com uma grande importância nesse processo”.

E o terceiro nome que é Joaquim Barbosa, mas que Acilino não queria opinar por ainda não estar filiado ao PSB, mas admitiu que se encontrou com ele.

A convite de um amigo comum os dois se encontraram e conversaram, “Tal como conversei com o Aldo e o Beto, também estive com o ministro Joaquim Barbosa, numa conversa agradável e educada onde mais que política conversamos sobre esporte, cultura e conjuntura econômica”, Sempre evitando opinar sobre a possível candidatura do ministro Acilino afirmou: “ Sou professor de Economia Política e de Direito Internacional, duas coisas que o ministro gosta e que eu adoro debater, e isso nos aproximou”.

Mas esquivou-se de comentar detalhes da conversa. E já disse que só comenta o assunto após filiação do ministro. E que esse seria o primeiro passo para um debate.

Ainda sobre a conversa que evitava comentar disse: “ terminamos por conversar também sobre o partido e uma provável candidatura dele. Mas praticamente a conversa ficou em perguntas que eu lhe fiz e analises que ele fazia.

Sempre muito bem fundamentadas, muito agradável, até porque foi um encontro pessoal, sem qualquer conotação partidária no que pese termos conversado e trocado muitas impressões sobre esses temas. ”. E finalizou: “ Ele é uma pessoa muito agradável, inteligente, muito preparado e a impressão que me deixou, foi de um progressista e nacionalista; mas não posso opinar sobre uma candidatura de quem ainda não é filiado ao partido”, concluiu.

ANOPOP – ZS – 08.02.18. Por ZÓBIA SKARTTINI.
Ao final da entrevista enquanto aguardava diversos jornalistas que desejavam entrevista-lo sobre o congresso do MPS e do PSB e suas propostas como candidato a Secretária Nacional, Acilino Ribeiro declarou que sua missão agora, após as viagens que fez aos estados, encontros que manteve com presidenciáveis do PSB e cursos que realizou para a militância, é implantar os Núcleos de Base do partido, e eleito Secretário Nacional do MPS em março com o apoio que tem da base do Segmento transformar o PSB no maior partido de massas do Brasil. E finalizou afirmando que isso vai acontecer com o MPS nas ruas e nas redes.


Acilino Ribeiro com Carlos Siqueira – Presidente Nacional do PSB

Da Redação Informa Tudo DF 

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here