Início Notícias Brasil Rollemberg anuncia a nomeação de 1.183 servidores para o DF

Rollemberg anuncia a nomeação de 1.183 servidores para o DF

152
0
COMPARTILHAR

Nomeação de 1.183 servidores para o DF

Os funcionários serão lotados na Secretaria de Saúde, Metrô, Hemocentro, Procon e Secretaria de Cultura

Felipe Menezes/Metrópoles
NATHÁLIA CARDIM
MANOELA ALCÂNTARA

O governador Rodrigo Rollemberg (PSB) anunciou, nesta terça-feira (17/10), a nomeação de 1.183 servidores. Entre eles, 846 serão lotados na Secretaria de Saúde; 188 trabalhadores irão para o Metrô; 41 farão parte do quadro de pessoal da Cultura; 79 ficarão no Hemocentro; e 39 terão reforçarão o quadro de pessoal do Instituto de Defesa do Consumidor (Procon). O impacto das contratações será de R$ 144 milhões em 2018.

Com a medida, a rede pública de saúde vai ganhar 118 médicos da família, 153 clínicos, do trabalho, 137 enfermeiros, 269 técnicos em enfermagem, entre outros especialistas. A folha de pessoal da pasta vai custar R$ 17,9 milhões a mais este ano, e R$ 110 milhões em 2018. Além disso, 561 servidores da área terão duplicação de jornada de trabalho na rede. Vão passar de 20 horas para 40 horas.As nomeações do Metrô são de aprovados no concurso de 2013. Os novos servidores vão se somar aos outros 1 mil efetivos que já compõem o quadro do órgão. Eles serão chamados em três etapas: 63, já este mês; 63, em fevereiro de 2018; e 62, em maio do ano que vem. São agentes de segurança, advogados, engenheiros, entre outros profissionais, que esperam há quatro anos para serem chamados.

Em vídeo publicado no Facebook, o governador deu a boa notícia e convocou uma coletiva para divulgá-la. “Estávamos impedidos pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) de contratar novos servidores. Mas com a saída do limite prudencial, estamos podendo contratar esses trabalhadores”,  disse o governador.

Após dois anos e oito meses enfrentando restrições por ultrapassar o teto de gastos com pessoal previsto pela LRF), o GDF anunciou, em 30 de setembro, que conseguiu ficar abaixo do limite prudencial no segundo quadrimestre deste ano: 44,81% da receita corrente líquida foram usados para pagar salários. O percentual de comprometimento registrou uma redução de 2,38 pontos em relação aos quatro primeiros meses de 2017 e deixou o DF na zona de alerta (44,10%).

Do Metrópoles.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here