Início Brasil Ambiente é propício, mas manifestantes sumiram das ruas; entenda

Ambiente é propício, mas manifestantes sumiram das ruas; entenda

39
0
COMPARTILHAR
Manifesação contra o presidente Michel Temer em frente ao Congresso Nacional, duramnte o precesso de votaçao. Foto: Sérgio Lima/PODER 360

Maioria reconhece a crise e rechaça políticos

Faltam instituições para mobilizar os insatisfeitos

Manifestante com máscara de Michel TemerSérgio Lima/Poder360 – 2.ago.2017

O SUMIÇO DOS MANIFESTANTES E A PERSONALIZAÇÃO DA LAVA JATO

Pesquisa do Instituto Uninassau realizada na cidade do Recife, no início do mês de agosto, procurou responder, inicialmente, ao seguinte problema: por que não ocorrem manifestações neste momento? Esta pergunta é relevante em razão de que manifestantes foram às ruas recentemente reclamar do aumento de passagens de ônibus, corrupção e defender o impeachment da então presidente Dilma Rousseff.

A pesquisa revelou que existe ambiente propício para a ocorrência de manifestações. 60,6% dos eleitores reconhecem que o seu poder de compra diminuiu. 79,9% afirmam que existe crise econômica. Neste universo, 85,9% consideram que a crise afetou a sua vida negativamente. Corrupção, segurança pública e saúde são os principais problemas do Brasil para os entrevistados. Um dado relevante: 96,6% dos eleitores sentem emoções negativas (tristeza, raiva e insatisfação) quando estão diante de um político.

Para 84% dos eleitores, o presidente Michel Temer não deve continuar à frente da presidência da República. 29,7% têm vontade de ir às ruas contra o atual mandatário do país. 41,7% são favoráveis às manifestações que ocorreram contra a ex-presidente Dilma Rousseff. E 8,8% participaram de manifestações contra o governo Dilma. Por que não ocorrem manifestações neste momento?

A pesquisa revela que 73,4% dos eleitores são favoráveis às manifestações de rua. E 80,1% afirmam que nunca participaram delas. As principais razões para a não participação são: “Não gosto dessas coisas”; ‘Medo”, “Não adianta de nada” e “Falta de tempo”. 17,6% dos eleitores declaram que pretendem participar em breve de manifestações.

Para manifestações ocorrerem, o ambiente precisa estar propício. E ele está. Contudo, existem dois vetores que aumentam a possibilidade dos eleitores que desejam se manifestar irem às ruas. Primeiro, existência de instituições, como sindicatos e organizações da sociedade, que mobilizem e incentivem a participação do individuo. Segundo, um estrondo social, como as frequentes denúncias de corrupção contra o governo Dilma e a delação da JBS contra o governo Temer. Então, por que, neste instante, não ocorrem manifestações contra o presidente Temer? Simples: faltam instituições para mobilizar parte dos indivíduos que deseja ir às ruas contra o seu governo.

Outro ponto relevante que a pesquisa sugere é que apesar da operação Lava Jato, a qual é conduzida pelo MP (Ministério Público e Poder Judiciário, não ocorreu empoderamento destas instituições entre os eleitores, especificamente, os recifenses. Isto é: A Lava Jato não é variável causal que possibilita/possibilitou o aumento da confiança das referidas instituições entre os eleitores.

Como revela a tabela 1, Bombeiros, Polícia Federal e Forças Armadas, são as instituições que os recifenses mais confiam. O questionamento necessário é: por que poucos eleitores não confiam fortemente no MP e no Poder Judiciário? A resposta desta pergunta é encontrada na seguinte hipótese: A operação Lava Jato é personalizada, os eleitores não a reconhecem como produto das instituições, mais de específicos indivíduos. fonte: Poder 360.

 

Informa Tudo DF

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here