Início Notícias Brasil Contaminação compromete o Lago Paranoá e põe em xeque captação de água

Contaminação compromete o Lago Paranoá e põe em xeque captação de água

103
0
COMPARTILHAR
Morte de peixes no Rio Paranoá e relatório do MP que aponta presença de bactérias próximo ao Deck Sul alertam para preservação da fonte de água que abastecerá, dentro de dois meses, parte da população do DF
Por Correio Braziliense Foto: Reprodução/Divulgação/Deborah Fortuna/CB – 06/07/2017 –

Dois meses antes do início da captação de água do Lago Paranoá para abastecimento de parte da população do Distrito Federal, problemas ambientais acendem o alerta sobre a preservação do espelho d’água. No fim de semana, milhares de peixes morreram no Núcleo Rural Boqueirão e, ontem, o Ministério Público do DF e Territórios (MPDFT) anunciou a abertura de ação civil pública contra os órgãos responsáveis pela construção do Parque Deck Sul, inaugurado em maio. Entre as irregularidades apontadas pelo M, está a presença acentuada da bactéria a Vibrio cholerae, causadora da cólera. No ano passado, o trecho entre a Ponte das Garças e a Honestino Guimarães ficou mais de um mês interditado para banhistas e pescadores devido à presença em excesso de cianobactérias.

 

Próximo às chácaras atingidas pelo mais recente problema, o mau cheiro é o primeiro indício da situação precária às margens do Rio Paranoá, no Boqueirão. Muitos peixes mortos continuam por lá. O caseiro de uma das propriedades da região Lindomar de Oliveira, 43 anos, disse que ficou surpreso quando viu a destruição da fauna local. “Quando o rio baixou, os peixes ficaram por cima (da margem). Então ficou aquela camada toda cheia de peixe”, contou. Como o rio é grande, muitas pessoas iam até ali para tomar banho e aproveitavam para pescar. “Agora, a gente não pode nem pescar para comer mais”, lamentou.

A Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento Básico do DF (Adasa) explicou que investiga as causas da tragédia ambiental em parceria com outros órgãos públicos. Há a suspeita de que o motivo seja o despejamento de esgoto não tratado na região, uma vez que, próximo ao local, há uma estação de tratamento da Companhia de Saneamento Ambiental do DF (Caesb). Caso seja comprovada a irregularidade, a companhia será multada.

 

Já no recém-inaugurado Parque dos Pioneiros Cláudio Sant’Anna — Deck Sul, além da água contaminada, também há o problema de erosão e de descumprimento de licenças ambientais. De acordo com o promotor de Justiça do Meio Ambiente Roberto Carlos Batista, a obra coloca em risco a segurança da população. Para ele, da forma como foi implantado, o lugar tende a aumentar os problemas de assoreamento. “Antes de entrar com a ação, o MP mandou um aviso pedindo que a Novacap cumprisse as normas ambientais exigidas nas licenças. O local começou a funcionar sem terminar o licenciamento e o MP foi surpreendido com a inauguração”, afirmou.

Um dos desafios é que o Deck Sul fica próximo à Estação de Tratamento de Esgotos de Brasília Sul (ETE Sul) e da Usina de Lixo do Serviço de Limpeza Urbana. Em nota, a Novacap disse que executou a obra de acordo com a legislação vigente e que foram plantados 70 mil m² de grama para evitar a erosão. Além disso, substituiu os eucaliptos por 680 mudas de árvore. Ainda segundo a companhia, o “local sempre foi considerado impróprio para o banho e, após a obra, a empresa instalou placas de orientação para que a população não entre na água”. A defesa deve ser entregue em 15 dias.

 

Perto do acesso ao deck, é possível ver a placa sobre os perigos do banho e da pesca no lugar. Mesmo assim, o Correio flagrou dois pescadores jogando redes de pesca na água. Quanto aos banhistas, ninguém se arriscou. Nem mesmo o publicitário Philipe Bastos, 26 anos, que ainda não sabia da ação do MPDFT. “Mesmo antes do Deck, eu sempre soube que essa área era imprópria para o banho”, comentou Philipe.

 

Apesar dos problemas, a Caesb explicou que o local onde ocorrerá a captação de água do lago será no Lago Norte, e garante que o recurso hídrico na região é de ótima qualidade. O sistema captará 700 litros por segundo, utilizados para auxiliar na demanda das cidades abastecidas pelo Sistema Santa Maria/Torto.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here