Cada dia Pior! Alguém avisa ao Secretario de Saúde que o Povo quer Médicos nos Hospitais e nas Upas do DF

    33
    0
    COMPARTILHAR

    Secretaria anuncia reformulação da atenção primária à saúde no DF

    Tony Winston/Agência Brasília

    Icaro Andrade
    Icaro.andrade@jornaldebrasilia.com.br

    Em coletiva de imprensa na manhã desta quarta-feira (15), a Secretaria de Estado de Saúde do DF (SES-DF) anunciou a reformulação do modelo tradicional de atenção primária em direção ao modelo de Estratégias de Saúde da Família (ESF). A medida deve atingir cerca de 170 unidades hospitalares que, juntas, poderão ampliar a assistência necessária à população.

    De acordo com o secretário da saúde, Humberto Fonseca, a mudança tem como foco principal melhorar o acesso da população às unidades de saúde.

    “O objetivo principal da mudança é organizar a rede de saúde e garantir acesso à população com atenção continua, foco em prevenção e em promoção de saúde e que permita assistência de forma a desafogar as filas de emergência nos hospitais, com sistema baseado na atenção primária. Queremos também que as pessoas tenham saúde perto de casa, com melhor qualidade e acesso” diz Fonseca.

    A ideia central é fazer com que todas as unidades básicas do setor no DF funcionem com equipes da Estratégia Saúde da Família (ESF). As mudanças constituem um conjunto de ações a fim de melhorar os mecanismos de prevenção de enfermidades.

    A pasta verificou que há cerca de 400 médicos para serem remanejados para a atual versão do modelo, que, segundo Fonseca, tem prazo para início ainda em junho deste ano. Ao todo 328 equipes serão formadas para fomentação do projeto.

    Os profissionais podem optar por aderirem a nova medida. Não havendo interesse desses médicos, eles serão remanejados para outros níveis de atenção primária. Os profissionais que já estão nessas unidades poderão ir para o projeto compor as equipes. “Temos um mecanismo de escape caso não haja interesse dos próprios profissionais da atenção primária” conclui.

    O documento traz sete diretrizes a serem seguidas para promoção de bem-estar voltado para a família: acolhimento, classificação de risco, resolubilidade, territorialização, acompanhamento, garantia de acesso e ordenação da rede pública.

    No acolhimento, a orientação é assegurar que o paciente relate de forma clara seus problemas. A interface entre equipe e usuário do sistema é importante para um direcionamento mais adequado, de acordo com as necessidades diagnosticadas.

    Pelas projeções da pasta, é possível resolver até 70% dos problemas somente na atenção primária. Por isso, a meta é estender de 30,7% para 75% a cobertura da Estratégia Saúde da Família no DF até 2018. Fonte: Jornal de Brasilia.

    Informa Tudo DF