Exclusivo!!! Entrevista com o administrador regional do Paranoá, Alessander Capalbo.

    158
    0
    COMPARTILHAR

    Em uma entrevista exclusiva ao Informa Tudo DF, Alessander Capalbo, esclarece boatos, e rebate acusação.

    “É uma afirmação completamente leviana” disse o Administrador.

    Após Nomeado Administrador Regional do Paranoá, saiu uma notícia onde, Alessander Capalbo, teria comprado por 2.000 (dois mil reais) uma pagina no Facebook para falar bem dele.
    Conheça o Administrador Regional do Paranoá

    55

    Alessander Carregari Capalbo, tem 41 anos, natural de Jaboticabal (SP), é graduado em teologia, e mestrado em ética, foi padre na cidade do Paranoá de 2004 a 2011 na paróquia Santa Maria dos Pobres. Disputou as eleições de 2014 pleiteando uma vaga de deputado distrital pelo PMDB. Não se elegeu, mas obteve 4.413 votos. Exerceu o cargo de chefe de gabinete da Administração Regional do Paranoá em seguida foi, pelo período de 5 meses, Administrador Regional da cidade do Itapoã . Atualmente a pedido do governador Rodrigo Rollemberg, aceitou o convite para ser o novo Administrador Regional do Paranoá-DF.
    77
    Em entrevista ao Informa Tudo DF, Alessander Capalbo, disse que a sua missão como administrador do Paranoá é ouvir a comunidade e ajudar a resolver as necessidades básicas da região. Confira a entrevista na integra:
     – Antes das eleições o senhor tinha pretensões de tornar-se Administrador Regional?
     – Não, uma das condições quando eu fui no segundo turno apoiar o Governador Rollemberg,  era de não ser administrador regional do Paranoá. Sabendo das grandes dificuldades que tem aqui, eu vim primeiramente como chefe de gabinete acompanhando o Eduardo. Conhecendo as necessidades de mobilidade, saúde, educação e tantas outras necessidades (Talvez por ser a administração com a segunda maior área rural do DF), então eu me dediquei a essas coisas e a resolver os problemas básicos do momento. E por incrível que pareça o governador ha 5 meses atrás me chamou pra ser Administrador do Itapoã, do qual fiquei muito feliz. Itapoã sim, eu tinha desejo de ser Administrador, isso porque eu me sinto desbravador. Quando cheguei no Paranoá como Padre, não tinha a igreja, não tinha salão, não tinha nada… então construímos a Igreja, as capelas a creche, e conseguimos ter bom Êxito em tudo.
    99
     – Na sua opinião, qual a principal diferença entre as cidades; Paranoá e Itapoã, se houver?
     – Pra mim existe, Itapoã é uma cidade onde o básico ainda não tem, não temos quase nenhum equipamento público, enquanto Paranoá é uma cidade que carece mais da manutenção. Apesar que com a chegada do Paranoá parque, nos vamos precisar de mais equipamentos públicos e melhorias no hospital, manutenção da cidade e etc. Mas eu coloco sempre essa diferença Paranoá é uma cidade mais estruturada e o Itapoã uma cidade que está se estruturando. Também pela Idade, a cidade do Itapoã tem apenas 11 anos… Essa é a diferença que vejo.
     – Qual Avaliação o senhor faz da sua rápida  gestão de 5 meses no Itapoã?
     – Eu faço uma avaliação muito positiva, primeiro porque eu vi que o governador Rodrigo Rollemberg abraçou a nossa causa lá, recomeçando o asfalto que era um desejo da população. Sabemos que tem as 5 quadras que eu brinco que é o “calcanhar de Aquiles do Itapoã”. Nós conseguimos voltar a colocar asfalto, ninguém acreditava naquilo que estava acontecendo, de voltar as máquinas… conseguimos fazer a limpeza das bocas de lobo, fomos a primeira Administração Regional a se adiantar por causa das chuvas, e conseguimos limpar quase 95% das bocas de lobo da cidade, conseguimos colocar o Marcos do Parque Sementes, que é um desejo da comunidade, um local que tinha várias invasões, e nos colocamos um marco ali onde vai ser o Parque, fizemos muitas visitas, tantas coisas, a limpeza da cidade, e etc.
    Eu acho que foi muito positivo, Porque o povo viu, e a gente tá vendo agora nas redes sociais esse sentimento de tristeza por eu ter saído de lá pra outra missão  que é vir agora para o Paranoá e ajudar o governador nesse momento aqui.
    33
     – Agora como administrador regional do PARANOÁ, como o senhor pretende trabalhar na comunidade?
     –  Primeiramente escutando o povo, ouvindo as demandas, nos estamos revendo um pouco a equipe né, mas eu quero sair pelas ruas, andar como eu andava lá no Itapoã, escutar, ver quais são as necessidades ver os pontos mais essenciais e urgentes que nós devemos atuar. Pra mim nesse momento é a limpeza porque a cidade está muito suja…  então vamos fazer um grande mutirão de limpeza, mas o básico vai ser escutar a comunidade e ver as necessidades da população.
     –  O governador Rodrigo Rollemberg fez alguma recomendação para essa região?
     –  A mesma recomendação de quando eu fui nomeado administrador  do Itapoã; de ser justo, de não falar nada indevido em nome dele, eu acho que isso eu já tenho mostrado com meu trabalho como padre aqui na cidade. Então, é uma região difícil a gente sabe, politicamente muito difícil. O mais, é de olhar com cuidado e amor a essa região que tem sido abandonada por muitos governos.
     – No seu ponto de vista, quais são as principais prioridades da cidade do PARANOÁ?
     – Olha, tem muitas, as pessoas do Esporte falam do JK que está abandonado, nós precisamos de escolas, o posto de saúde que já não comporta mais tanta gente. Nós temos muitas necessidades, uma vila olímpica, construir algo pros jovens e lutar por essa realidade. Ai você vai falar assim: “nossa você tá falando tanta coisa, em 2 anos não dá pra fazer tudo isso”, mas eu acho que se a gente não der o ponta pé inicial, aí sim nós nunca vamos conseguir. Por exemplo, eu gosto de dizer eu saí do Itapoã, mas já está começando o asfalto, mais ou menos eu deixei começando o asfalto daquelas quadras, e espero que terminem, eu fiz a minha parte, e é isso! eu quero dar o ponta pé naquilo que tá faltando aqui, talvez não se cumpra no tempo em que eu sou administrador, mas eu fiz a minha parte de começar sem medo.
     – Muitas pessoas, nas redes sociais, aprovaram a indicação do seu nome para comandar a Administração.  Como o senhor recebe isso?
     – Olha eu tenho visto nas redes sociais que tenho sido bem acolhido, não 100%, eu posso dizer que nem Cristo agradou todo mundo né? tem aqueles que são contra, eu acho que é um direito, e eu tenho uma Filosofia de vida; eu gosto de demonstrar o contrário através do meu trabalho.  Não vou tentar convencer que o Alessandro é bom, mas o trabalho vai demonstrar, por exemplo quando eu cheguei no Itapoã houve uma resistência com algumas lideranças e hoje a maioria deles, no dia que ficaram sabendo que eu estava vindo para o Paranoá, tentaram fazer uma manifestação pra eu não sair, fiquei sabendo e não deixei. Então eu acho que essa pequena, porção que não quer o Alessandro aqui, pode se reverter através do meu trabalho, mostrarei a que eu vim.
    88
     – Existe uma acusação, que o senhor teria tentado comprar uma pagina do Facebook para falar bem do senhor. Isso é verdade?
     – Eu confesso que eu conheci esse senhor que colocou essa notícia na quinta ou sexta-feira, se não me engano, eu não conheço essa pessoa, é uma afirmação completamente leviana. Primeiro porque o “Paranoá Show” sempre foi pra mim, uma pagina que incita a violência e também eu não teria porquê.  Se eu tenho um perfil com mais de 20 mil seguidores, e não são curtidas compradas, são pessoas que me seguem, eu vou comprar uma página pra falar bem de mim? Eu acho que a gente só cresce quando temos aqueles que estão do nosso lado e aqueles que te criticam. Eu me lembro que ouvi uma vez de um deputado que por mais que a coisa esteja boa quando o governante te perguntar como tá? você fala que tá ruim pra ver se melhora mais ainda. Então eu não tenho porque querer que falem bem do Alessander.
    Ele até me mandou uma mensagem no meu celular e fazendo essa acusação, e eu falei que se de fato ele continuar assim eu vou registrar um B.O. Porque em momento, e que prova tem? pagar 2000 por um site que não tem nenhum pouco a característica do Alessander…
     – O que a comunidade PARANOÁ pode esperar do administrador Alessander Capalbo?
     – Pode esperar empenho, força, luta, eu vou fazer o máximo para poder responder às necessidades da comunidade, sempre sem horário sem tempo e como eu sempre fiz. Quando cheguei no Itapoã eu sempre gostava de brincar com as pessoas; “Antes de falar com os boizinhos, a gente vai falar direto com o dono dos boizinhos”. Então eu só vou esperar nomear a equipe, e quero começar… Secretário por secretário vendo as necessidades daqui e tentando as soluções, junto com os secretários junto com o governador,…  Foi isso que comecei a fazer Itapoã, e que deu certo, no Paranoá vai ser da mesma forma.
     – Quem desejar conhece-lo melhor, ou agendar uma reunião, como faz? ALESSANDER CAPALBO é um administrador acessível?
     – Sim, tem o “Fale com Administrador” já está na página, depois aqui no gabinete, muitas vezes quando eu estou aqui temos os dias pra atender a comunidade, ou  mesmo por telefone, eu sempre atendo com a maior tranquilidade. Claro que nem tudo vou conseguir resolver por isso que nós temos uma equipe e trabalharmos juntos pra atender as necessidades da comunidade. Mas nunca fui, nem como Padre e muito menos como Administrador uma pessoa difícil de se chegar, e sempre consegui receber as pessoas com tranquilidade.
    Da Redação Informa Tudo DF