Polícia Civil faz busca e apreensão na Casa Militar do Palácio do Buriti

    23
    0
    COMPARTILHAR
    image

    Casa Militar diz que vai colaborar com investigação da Polícia Civil

    Publicado em CB.Poder

    O chefe da Casa Militar, Cláudio Ribas, divulgou nota sobre a Operação Palácio Real, deflagrada nesta manhã (02), pela Delegacia de Combate ao Crime Organizado (Deco) da Polícia Civil do DF.

    O oficial sustenta que a Casa Militar vai colaborar nas investigaçôes da Polícia Civil sobre os fatos que estão relacionados ao governo anterior, de Agnelo Queiroz (PT).

    A Deco investiga a suposta participação do Coronel Cirlândio Martins, ex-chefe de gabinete da Casa Militar, no episódio em que o policial militar João Dias invadiu o Palácio do Buriti, em 2011, para atingir o então secretário de Governo, Paulo Tadeu, hoje conselheiro do Tribunal de Contas do DF. O policial jogou uma mala com R$ 200 mil no gabinete de Paulo Tadeu para passar uma imagem de que estaria devolvendo o dinheiro.

    Na nota, a Casa Militar diz que Cirlândio não está mais lotado no órgão.

    O coronel foi exonerado há uma semana. Ao blog, o coronel Ribas disse que Cirlândio foi transferido da Casa Militar para a área de saúde da Polícia Militar, pela sua articulação política, para cuidar dos problemas do Fundo de Saúde da PM.

    Veja a nota da Casa Militar:

    “A Casa Militar explica que foi franqueado o acesso aos agentes da Polícia Civil que realizaram, na manhã de hoje, busca e apreensão de documentos e arquivos de computador relacionados ao ex-servidor Cirlândio Martins dos Santos, exonerado no dia 24 de agosto.

    A operação da Polícia Civil é consequência de uma investigação iniciada no governo passado, em 2012.

    A Casa Militar irá colaborar no que for possível com as investigações”.

    Foto: Breno Fortes

    image

    Polícia Civil faz busca e apreensão na Casa Militar do Palácio do Buriti

    Publicado em CB.Poder

    ANA MARIA CAMPOS
    NATHÁLIA CARDIM
    BRENO FORTES (FOTOS)

    Policiais civis da Delegacia de Combate ao Crime Organizado (Deco) cumprem nesta manhã (02) mandados de busca e apreensão na Casa Militar do DF, no Palácio do Buriti. O alvo da investigação é o Coronel Cirlândio Martins dos Santos, que até uma semana atrás era o chefe de gabinete da Casa Militar, comandada pelo Coronel Cláudio Ribas, responsável pela segurança do governador Rodrigo Rollemberg. A operação foi batizada de Palácio Real.

    Os policiais civis realizam também busca e apreensão nas casas do Coronel Cirlåndio, no Condomínio RK, e do policial militar reformado João Dias, no Condomínio Bela Vista, em Sobradinho. Há ainda mandado de condução coercitiva contra João Dias. Toda a operação foi autorizada pela Justiça.

    Os investigadores apuram a relação entre os dois policiais militares e a participação deles no episódio em que João Dias invadiu o Palácio do Buriti, em 2011, na gestão de Agnelo Queiroz, para desafiar o então secretário de Governo, Paulo Tadeu, hoje conselheiro do Tribunal de Contas do DF. João Dias entrou sem qualquer incômodo, foi ao gabinete de Paulo Tadeu e jogou sobre a mesa cédulas que somavam R$ 200 mil. João Dias chegou a agredir uma funcionária do então secretário que até hoje trabalha com ele, no Tribunal de Contas do DF.

    O conselheiro Paulo Tadeu sempre afirmou que o episódio foi uma armação de João Dias para prejudicá-lo politicamente. Ao invadir a Secretaria de Governo, Dias disse que foi ao Palácio do Buriti devolver o dinheiro a Paulo Tadeu.

    Cirlândio foi candidato a deputado distrital em 2010 pelo PMDB, na coligação liderada pelo petista Agnelo Queiroz. Teve cerca de 1,5 mil votos e não se elegeu. Ele também exerceu o cargo de administrador regional de Planaltina. No governo atual, trabalhava como chefe de gabinete da Casa Militar. A exoneração dele foi publicada no Diário Oficial do DF de 24 de agosto.

    Fonte: CB Poder

    Informa Tudo DF