Só Agora? Após áudio, Rollemberg pede apuração de suposta propina no GDF

    34
    0
    COMPARTILHAR
    imagesGRAVAÇÃO ENTRE SANTANA E PRESIDENTE DO SINDSAÚDE, MARLI RODRIGUES

    ‘IstoÉ’ divulgou áudio em que vice Renato Santana diz saber de cobrança

    Fonte: DO G1 DF – 16/07/2016

    O governador Rodrigo Rollemberg determinou à Polícia Civil e à Controladoria-Geral do DF a abertura de investigação para apurar suposto esquema de propina na administração pública revelado em uma conversa do vice-governador, Renato Santana, com a presidente do Sindicato dos Servidores da Saúde (SindSaúde), Marli Rodrigues. Ele disse que também vai pedir investigação do Ministério Público. A gravação foi revelada pela revista “IstoÉ” nesta sexta-feira (15).

    Na conversa, segundo a revista, a presidente do sindicato pergunta a Santana se ele tem conhecimento de pagamento de 30% de propina em contratos da Secretaria de Saúde. O vice-governador responde saber de pagamentos de 10% na Secretaria de Fazenda. “Autorizou a pagar 10% de propina”, diz Santana, sem revelar quem teria concordado com o suposto repasse de valores. “Eu não autorizei, mas o assunto chegou para mim”, teria dito na sequência. O G1 não conseguiu contato com a presidente do SindSaúde.

    Em nota emitida neste sábado, o governador Rollemberg diz que “está solicitando ao vice-governador Renato Santana que oficialize os supostos casos de corrupção de que teria conhecimento, detalhando os nomes dos envolvidos e os respectivos contratos firmados com o governo de Brasília”.

    Também em nota, Santana disse que “repudia com veemência ter sido alvo de gravação ilegal de conversas com terceiros” e diz ter comunicado ao governador Rollemberg sobre a suposta cobrança de propina quando tomou conhecimento de irregularidades.

    A assessoria do governador disse que Rollembertg mandou apurar o caso, mas o nome citado na conversa como sendo de um servidor da Secretaria da Fazenda envolvido com o suposto esquema não faz parte do quadro de funcionários do GDF.

    Ao G1, a assessoria de Santana diz que ele foi procurado por empresários há três meses que relataram a ele haver a cobrança de 10% dos valores dos contratos quando iam receber as faturas. A cobrança seria feita por servidores responsáveis pela liberação dos pagamentos.

    Em outro trecho da nota, o vice-governador diz que “com relação aos relatos da presidente do SindSaúde, a dinâmica será semelhante [de denunciar irregularidades], desde que ela aponte os agentes objeto da denúncia trazida durante a gravação”.

    Rollemberg anunciou que vai entrar com uma queixa-crime contra a presidente do SindSaúde, Marli Rodrigues, “pelas palavras difamatórias com que ela se referiu a ele nas gravações publicadas pela imprensa”.

    Investigação

    Ao G1, o controlador-geral do DF Henrique Moraes Ziller afirmou que as denúncias foram feitas ao governador há três meses, mas que, por “falta de elementos mínimos”, não se instaurou processo à época. “A única informação concreta que havia era o nome do funcionário que seria da Secretaria de Fazenda. Ele não foi encontrado no quadro do órgão e não houve prosseguimento da investigação.” Por “elementos mínimos”, Ziller menciona, como exemplo, que são necessários contratos, valores concretos do recebimento de propina e nomes de servidores que supostamente estejam envolvidos com atividades ilícitas.

    O controlador-geral explicou que, a partir da divulgação do caso, é possível que novos aspectos de supostos esquemas de corrupção surjam para os órgãos fiscalizadores. “O governador Rollemberg quer se liste informações mínimas que possam dar indícios a novas investigações. Na próxima segunda-feira (18) vamos retomar esses procedimentos.”

    Questionado a respeito do tempo necessário para apuração, Henrique Ziller afirmou que o prosseguimento da investigação foi um pedido de urgência do GDF. “Obviamente que a apuração irá depender dos elementos que a gente dispuser. Mas o governador pediu que não passe de 30 dias e reafirmou que não compactua com o desvio de recursos públicos”, comentou. Fonte: DO G1 DF –

    Informa Tudo DF