Rollemberg X Fraga: Paralisação na Olimpíada… A PM não vai entrar nessa. diz o governador

    47
    0
    COMPARTILHAR

    22Rollemberg critica fala de Fraga sobre paralisação da PM na Olimpíada

     

     ‘PM tem consciência da sua responsabilidade e não vai entrar nessa’, disse.
    Em áudio, deputado propõe paralisação para pressionar GDF por reajuste.

    Alexandre BastosDo G1 DF

    O governador Rodrigo Rollemberg afirmou nesta quarta-feira (29) lamentar as declarações do deputado Alberto Fraga (DEM-DF) incitando uma paralisação de policiais militares durante a realização da Olimpíada. O áudio das declarações foi revelado nesta quarta-feira (28) pelo G1 (veja acima).

    “Eu acho lamentável que uma autoridade pública fique incitando algo sabidamente ilegal. Portanto, o governo lamenta. E eu tenho convicção que a PM tem consciência da sua responsabilidade e espírito público e não vai ‘entrar nessa’”, disse Rollemberg.

    O áudio foi gravado durante uma reunião com cerca de 180 oficiais da Polícia Militar na Câmara dos Deputados no último dia 20. Em um dos trechos, o deputado diz que o Exército chegou a discutir um plano de ação se houver paralisação de policiais durante os Jogos Olímpicos. “Já estão preparando as tropas para atuar no DF caso a PM venha parar.” O Exército negou a informação.

    Em outro trecho, ele diz:“Agora, independente de anunciar greve, independente de qualquer coisa que a gente possa deixar a sociedade apavorada, nós podemos anunciar um dia de não comparecimento ao quartel (sic). A maioria aqui já está bem idoso, já está bem crescido. Alguém aqui terá qualquer dia de problema se no dia 4 de julho, 5 de julho, que no dia da Olimpíada a gente não vai trabalhar?”.

    Eu acho lamentável que uma autoridade pública fique incitando algo sabidamente ilegal. Portanto, o governo lamenta. E eu tenho convicção que a PM tem consciência da sua responsabilidade e espírito público e não vai ‘entrar nessa”
    Governador Rodrigo Rollemberg

    Ao G1 nesta terça-feira, Fraga confirmou as declarações, mas negou que estivesse incitando uma greve da categoria. “A gente não pode fazer greve. Eu não sugiro greve. Digo que, já que não podemos fazer greve, a gente se manifeste um dia faltando o serviço, que cada um resolva faltar ao serviço. Alguém pode impedir isso? Todo mundo fica doente”, ironizou o deputado.

    A proposta de Fraga era pressionar o governo do Distrito Federal para conseguir um reajuste de 27,9% nos salários dos policiais e melhorias no plano de saúde da corporação. Atualmente, o DF tem 7,8 mil bombeiros militares e 13,6 mil policiais militares.

    Segundo a professora de Código Penal Militar e doutora em direito Ester Kosovski, greves e paralisações são consideradas ilegais na esfera militar. A pena para quem organiza paralisações chega a três anos de prisão, por motim e insubordinação. Para quem participa, dois anos.

    A proposta do deputado foi criticada entre grupos de militares. O presidente da Associação dos Oficiais da PM do DF, Fábio Barbosa Pizetta, disse ao G1 discordar de uma eventual paralisação. “A associação atua dentro da lei. Greve e paralisações são crime. Incitar também é crime”, afirmou. A entidade representa 1,5 mil policiais. Do G1.

    Informa Tudo DF