Renato Andrade X Rollemberg

    10
    0
    COMPARTILHAR

    Rollemberg poderá ser acusado de omissão pela CPI dos Transportes

    IMG_20160422_172235

    Presidente acusa o Buriti de se omitir quando manteve o pagamento da tarifa técnica que havia sido fixada ao tempo de Agnelo Queiroz

    Rollemberg poderá ser acusado de omissão pela CPI dos Transportes da Câmara Legislativa. Segundo o presidente da comissão, deputado bispo Renato Andrade (PR),

    O governador e o secretário de Mobilidade Urbana, Marcos Dantas, foram omissos em permitir o pagamento da tarifa técnica para as empresas de ônibus, entre outras ações envolvendo o polêmico contrato feito pela gestão de Agnelo Queiroz.

    Para o bispo Renato, o GDF deveria ter revisto os valores cobrados. A CPI votará e divulgará o relatório final das investigações na próxima segunda-feira (25).

    “A depender de mim, serão responsabilizados Rollemberg e Marcos Dantas. Como continuaram pagando  tarifa que era R$ 59 milhões no governo passado e saltou, em um ano, a R$ 600 milhões?”, questionou o distrital.

    Sem revelar novos nomes, o deputado antecipou que a CPI deverá sugerir a abertura de investigação de mais quatro pessoas. A comissão  deve recomendar abertura de  auditoria em todo o sistema e que o GDF suspenda os pagamentos do BRT Sul, pois se duvida que a empresa deva receber de fato pelo projeto.

    A comissão não tem como aplicar punição direta, mas recomendará a apuração para o Ministério Público, a Polícia Civil, o Tribunal de Contas do DF e  para o próprio GDF. A CPI recolheu mais de 20 mil documentos, fora quebras de sigilo, telefônico, fiscal e bancário.

    Acusação, se vier, é absurda, diz governador

    Rollemberg classificou a possível acusação como absurda. O socialista ressaltou que sua gestão não foi a responsável pela licitação. Para o governador, qualquer mudança depende de muito planejamento.

    “É importante esperar o relatório. Depois, é um completo absurdo. Eu diria, em relação a esse contrato, o mesmo o que disse em relação às pessoas que se colocaram contra a divisória na Esplanada: aponte uma alternativa. Ou alguém queria que a gente suspendesse o serviço de transporte coletivo no Distrito Federal?”, rebateu o governador. Já Marcos Dantas,  declarou que se manifestará após receber o relatório final. Fonte:  Jornal de Brasília.

    Informa Tudo DF