DF: Campanha de vacinação contra H1N1 começa dia 18, segunda-feira.

    14
    0
    COMPARTILHAR

     

    vacinação-840x577

    Nesta fase, serão vacinados apenas as crianças de 6 meses a menores de 5 anos, gestantes, mulheres com até 45 dias pós-parto e os trabalhadores de saúde da rede pública e privada

    A Secretaria de Saúde do Distrito Federal inicia nesta segunda-feira (18/4), de forma antecipada, a campanha de vacinação contra H1N1. Nesta fase, serão vacinados apenas as crianças de 6 meses a menores de 5 anos, gestantes, mulheres com até 45 dias pós-parto e os trabalhadores de saúde da rede pública e privada. Essa primeira parcela da população totaliza 295 mil pessoas. A vacinação será feita em 60 postos de saúde da rede pública, das 8h às 12h e das 13h às 17h.

    De acordo com a Subsecretaria de Vigilância à Saúde, os demais grupos que fazem parte do público-alvo serão vacinados a partir do dia 30. São eles: pessoas com mais de 60 anos, povos indígenas, população privada de liberdade, funcionários do sistema prisional e pessoas com doenças crônicas não transmissíveis ou com outras condições clínicas especiais.Até o momento, o Distrito Federal recebeu do Ministério da Saúde 260.720 doses, de 620 mil que serão disponibilizadas pelo governo federal para a Secretaria de Saúde. Na capital, durante a campanha, deverão ser vacinadas 609 mil pessoas.

    Neste ano, no DF, foram registrados 180 casos suspeitos, 45 confirmados e três moradores da cidade morreram vítimas da doença. Em 2015, não houve ocorrências do vírus na capital do país.

    A influenza, ou gripe, como é popularmente conhecida, é transmitida por meio das vias respiratórias e seus efeitos duram, em média, uma semana. Ela é uma patologia que afeta principalmente os brônquios, boca, nariz, garganta e ocasionalmente acomete os pulmões.

    Os principais sintomas do H1N1 são febre acima de 37,8ºC – sendo mais acentuada em crianças –, infecção aguda das vias aéreas, calafrios, mal-estar, cefaleia, dores no corpo, garganta e articulações, prostração, coriza e tosse seca. Em alguns casos é possível a ocorrência de vômito, diarreia, fadiga e rouquidão. A influenza está presente entre a população durante todo o ano, mas constata-se aumento principalmente no outono e inverno.

    São medidas que evitam a transmissão da influenza e outras doenças respiratórias:

    • Frequente lavagem e higienização das mãos, principalmente antes de consumir algum alimento
    • Utilizar lenço descartável para higiene nasal
    • Cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir
    • Evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca
    • Higienizar as mãos após tossir ou espirrar
    • Não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas
    • Manter os ambientes bem ventilados
    • Evitar contato próximo a pessoas que apresentem sinais ou sintomas de gripe
    • Evitar sair de casa em período de transmissão da doença
    • Evitar aglomerações e ambientes fechados (procurar manter os ambientes ventilados)
    • Adotar hábitos saudáveis, como alimentação balanceada e ingestão de líquidos. (Informações da Secretaria de Saúde).

    Informa Tudo DF