Prazo Final: Rollemberg dá até hoje para servidor retomar serviço e evitar corte de ponto

    16
    0
    COMPARTILHAR

    Governador disse que vai emitir decreto para descontar dias parados.
    Sindicatos abriram ação de improbidade contra o chefe do Executivo.

     22

    O governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg, declarou que os servidores de categorias que tiveram a greve decretada ilegal pela Justiça têm até esta quarta-feira (28) para voltar ao trabalho e não ter corte de ponto na próxima folha de pagamento. O chefe do Executivo disse ainda que vai emitir um decreto determinando aos secretários que possam registrar os dias parados para que seja feito o corte dos dias não trabalhados. Ele falou que vai pedir a execução da multas das greves consideradas ilegais.

    Estamos em negociação com os sindicatos, estamos encaminhando um documento dizendo o seguinte que se retornarem imediatamente ao serviço, nós vamos registrar os dias parados e vamos exigir a reposição dos dias parados. Caso não voltem imediatamente ao trabalho, nós vamos fazer o corte do ponto na próxima folha”
    Rodrigo Rollemberg
    governador

    “Estamos em negociação com os sindicatos, estamos encaminhando um documento dizendo o seguinte: que se retornarem imediatamente ao serviço, nós vamos registrar os dias parados e vamos exigir a reposição dos dias parados. Caso não voltem imediatamente ao trabalho, nós vamos fazer o corte do ponto na próxima folha”, declarou Rollemberg.

    “É inadmissível que um doente chegue em uma farmácia e não receba o seu medicamento. É inadmissível um servidor público prolongar o sofrimento de uma família e não liberar um corpo no IML. A Justiça considerou essas greves ilegais e portanto vamos cobrar essa multas.”

    Em nota, o SindSaúde disse que vai realizar uma assembleia nesta quarta para votar a proposta recebida. O Sindicato dos Professores afirmou que até a próxima sexta-feira (30), quando haverá assembleia, os servidores manterão a paralisação.

    O Sinpro disse ainda que se Rollemberg executar a multa da categoria, que já chega a R$ 2,3 milhões, vai recorrer. O Sindicato dos Médicos declarou que o corte de ponto vai ser discutido na Justiça e que já há decisões do STF afirmando que não se desconta dias parados durante greve.

    As paralisações foram deflagradas no último dia 8 em repúdio à decisão do governador Rodrigo Rollemberg de suspender reajustes salariais. Os aumentos foram aprovados, de forma escalonada, pela gestão anterior.

    O movimento se intensificou depois que Rollemberg anunciou que o pagamento só seria feito a partir de 1º de outubro do ano que vem. A Justiça já considerou ilegal a greve da maioria das categorias que estão paralisadas, entre elas a dos servidores da Saúde, da Educação, doHemocentro e do IML.

    O governador declarou que, se receber sugestões de parlamentares e de sindicatos de outros projetos que permitam aumentar a arrecadação de forma continuada, o calendário de pagamento do reajuste anunciado poderá ser revisto. do G1 DF.

    Informa Tudo DF