Ampliação do Hospital da Criança: Rodrigo Rollemberg determina prioridade à liberação do alvará

    16
    0
    COMPARTILHAR

    Decreto do governador Rodrigo Rollemberg determina prioridade à liberação do alvará para construção da unidade de atendimento especializado

    Hospital da Criança mais perto de ser ampliado

    Em decreto publicado hoje no Diário Oficial do DF, o governo local classifica a obra e o projeto do Bloco 2 do Hospital da Criança de Brasília José Alencar como objetos de interesse público. Essa condição coloca como prioridade o processo de liberação do alvará para construção do prédio que abrigará 202 leitos, unidade de terapia intensiva, laboratórios e centro de estudo e pesquisa.

    A primeira parte — que ocupa área de 7 mil metros quadrados — foi inaugurada em 2011, com 30 consultórios, 22 leitos de internação e uma sala para pequenas cirurgias. “Com o hospital finalizado, vamos ter condições de realizar cirurgias de alta complexidade, como transplantes, e de evitar a transferência dos nossos pacientes para outros hospitais”, afirma o superintendente-executivo, Renílson Rehem.

    A segunda fase da construção, o Bloco 2, está sendo custeada pelo governo local e pela Organização Mundial da Família. O terreno de 22 mil metros quadrados está pronto para o início das obras. Já foi feita a terraplanagem, e as estruturas para a montagem do prédio estão compradas e estocadas. O projeto é de um edifício pré-moldado de dois andares (um subterrâneo e um térreo).

    Recursos financeiros
    A construção é resultado de um convênio entre o governo local e a Organização Mundial da Família (OMF). A verba para o término da obra está garantida. Dos R$ 82 milhões do custo, Brasília já repassou R$ 41.495.000 à OMF, responsável pela construção.

    No início do ano, aprovou-se uma suplementação orçamentária de R$ 10 milhões para o empreendimento. Além disso, o governo destinou mais R$ 30 milhões que seriam usados nos Jogos Universitários Mundiais (Universíade), em 2019. “Com isso, fechamos a conta”, comemora Lucas Marani Bahia Duca, coordenador da Comissão de Acompanhamento do Convênio de Cooperação Técnica e Financeira entre a OMF e o governo de Brasília. O orçamento inclui o mobiliário e os equipamentos.

    Assim que a fase burocrática for finalizada, a previsão para a inauguração é de um ano. A unidade faz parte da rede pública de saúde de Brasília, sob administração do Instituto do Câncer Infantil e Pediatria Especializada.

    A primeira fase do Hospital da Criança foi totalmente construída com recursos da Associação Brasileira de Assistência às Famílias de Crianças Portadoras de Câncer e Hemopatias (Abrace). Quando inaugurada, a unidade hospitalar integrou-se à rede pública de saúde de Brasília, em convênio assinado com a associação e a OMF.

    Atendimentos
    Desde a inauguração, em 2011, até o fim de abril, foram feitos cerca de 1,5 milhão de atendimentos, 36 mil internações, 24 mil sessões de quimioterapia e 9 mil transfusões. “Com o segundo bloco, nossa capacidade vai quadruplicar; isso vai interferir diretamente no fluxo principalmente do Hospital de Base e no Hospital Materno-Infantil”, prevê Duca. A estimativa é que todas as cirurgias pediátricas sejam transferidas para o Hospital da Criança, exceto as cardíacas.

    O hospital atende a quase todas as especialidades pediátricas para consultas, como alergia, cardiologia, dermatologia, neurologia, oncologia e ortopedia. Oferece também hemodiálise, fisioterapia, fonoaudiologia e psicologia. Para se tratar no Hospital da Criança, é preciso ser encaminhado por especialistas da rede pública de saúde.

    Fonte: Da Agência Brasília

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Please enter your comment!
    Please enter your name here