Ceilândia recebe 200 novos policiais

    17
    0
    COMPARTILHAR

    Praças foram locados nos 8º e 10º batalhões de Polícia Militar da cidade com o objetivo de melhorar a qualidade da segurança na região

    Ceilândia recebe 200 novos policiais

    As ruas de Ceilândia agora contam com mais 200 policiais militares. Locados nos 8º e 10º batalhões da região, cem praças em cada um, eles fazem parte dos 748 integrantes do curso de formação da Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) que terminou em abril. Os policiais foram oficialmente recebidos, na tarde desta quinta-feira (14), em solenidade no centro de Ceilândia, perto do restaurante comunitário.

    Após a execução do Hino Nacional, a tropa foi apresentada ao comandante-geral da PM, coronel Florisvaldo César. “Esta polícia está ligada na proteção aos direitos humanos, na defesa da vida, são profissionais capacitados e esforçados”, afirmou César. Ele explicou que, para definir o efetivo, foram levados em conta aspectos sociais, crescimento populacional e índices de criminalidade.

    O comandante disse que era um presente entregar os policiais à comunidade na semana de aniversário da PMDF, que completou 206 anos na quarta-feira (13). A data remete à criação da Divisão Militar da Guarda Real da Polícia da Corte, criada em 1809, por Dom João VI.

    O governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, cumprimentou os novos oficiais. “Não são apenas 200 homens e mulheres que prestarão serviços à comunidade, são a melhor Polícia Militar do Brasil”, afirmou. Ele lembrou que a área, considerada perigosa, receberá policiamento ostensivo. “Essa ação integra o Pacto pela Vida, que tem a segurança pública como prioridade.”

    O secretário da Segurança Pública e da Paz Social, Arthur Trindade, também recepcionou os novatos e acrescentou que eles chegaram para reforçar o compromisso do governo com a região: “Ceilândia faz parte dos lugares que priorizamos”.

    O estudante de teatro Mauro César, de 37 anos, assistiu à solenidade e gostou da ideia de ter mais policiamento na área. “Aqui é um lugar perigoso, principalmente durante a madrugada”, observou. Membro de movimentos artísticos e sociais, o morador acredita que a solução para a segurança preventiva é o investimento em arte, infraestrutura e educação. “Muitos vão para o crime por falta de oportunidades, e é papel do Estado criá-las”, apontou. “Uma praça bem equipada, projetos sociais e o investimento cultural, atrelados ao policiamento, fazem toda a diferença para a população.”

    Também participaram do evento o vice-governador, Renato Santana, o chefe da Casa Militar, Cláudio Ribas, o administrador de Ceilândia, Vilson José de Oliveira, o diretor do Departamento de Trânsito do Distrito Federal, Jayme Amorim, e a deputada distrital Luzia de Paula (PEN).

    Da Agencia Brasilia

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Please enter your comment!
    Please enter your name here