Proposta de Rollemberg deverá ser derrotada na Câmara Legislativa

    29
    0
    COMPARTILHAR









    Distritais podem rejeitar projeto de Rollemberg que acaba com administrações, diz Delmasso

    Um estudo técnico realizado pelo deputado distrital Rodrigo Delmasso (PTN) prova que extinguir algumas administrações regionais como a do Jardim Botânico, Núcleo Bandeirante, Fercal, e Varjão, conforme deseja o governador Rodrigo Rollemberg, não trará nenhuma economia ao governo, além de ser uma medida que não tem o apoio das populações afetadas.

    “O governador economizaria muito mais se acabasse com as centenas de carros oficial e com a famigerada e cara residência oficial, cujos gastos são desnecessários”, afirma o parlamentar.

    Ele vai apresentar o estudo nesta segunda-feira (23) aos cinco deputados que integram o seu bloco político “Amor por Brasília”.

    Delmasso, que é da base aliada do governo, afirmou ao Radar que não tem nenhum sentido acabar com as administrações, se for por contenção de gastos como justifica o governo. “Isso é uma tola economia de palito, além de que acabar com essas referidas administrações regionais, atrai a ira popular, ônus que nenhum deputado quer carregar”, disse o distrital.

    “Núcleo Bandeirante e Jardim Botânico não merecem isso”

    O parlamentar disse que extinguir o Núcleo Bandeirante como cidade administrativa é deletar a cultura e a historia de um cidade que ajudou a construir Brasília. O deputado também disse que o Jardim Botânico tem a sua peculiaridade por ser uma cidade constituída por condomínios horizontais, cuja região que inclui o Altiplano Leste, Setor Habitacional São Bartolomeu, Jardins Mangueiral e Tororó, onde moram 75 mil pessoas, mais que o dobro dos moradores do Lago Sul.

    Rodrigo Delmasso ressaltou que essa questão tem que ser muito bem debatida, avaliada e aprofundada entre os deputados e com setores do próprio governo. “Vou apresentar esse estudo técnico aos distritais que formam o bloco do PMDB e do PT, bem como à Secretaria de Planejamento, Orçamento e Gestão e Casa Civil”, afirmou.

    Fonte: Radar Condomínios

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Please enter your comment!
    Please enter your name here