Palácio do Buriti: A amarga derrota. Os perdedores

    18
    0
    COMPARTILHAR

    O insucesso de Jofran Frejat, candidato do PR ao Palácio do Buriti, compromete projetos dos grupos políticos liderados pelos ex-governadores Joaquim Roriz e José Roberto Arruda

    A derrota de Jofran Frejat (PR) para Rodrigo Rollemberg (PSB) nas urnas não foi individual. O grupo formado por aliados com nomes até então fortes no cenário político do Distrito Federal, e que integravam a coligação, não conseguiu representatividade nas eleições deste ano. Apesar de ter subido nas pesquisas e conseguido levar a disputa para o segundo turno, Frejat obteve 649.587 votos (44.44%), com menos tempo de campanha do que o adversário, mas não superou o socialista, eleito com 812.036 (55.56%). …
     
    A campanha de Jofran Frejat foi apoiada por políticos conhecidos na capital, como José Roberto Arruda (PR), Gim Argello (PTB), Joaquim Roriz (PRTB) e Luiz Estevão (PRTB). Outra tática que não deu certo foi a tentativa de desconstrução da imagem de Rollemberg até o último momento. Um dia antes da votação, panfletos com acusações contra o governador eleito e o vice, Renato Santana, foram distribuídos no DF. 
     
    Mas nem tudo está perdido para o grupo. Eles tentarão continuar exercendo poder no Legislativo. Alberto Fraga (DEM) foi o deputado federal mais votado no DF, com 155.056 votos. Laerte Bessa (PR) conseguiu a última vaga na Câmara dos Deputados com 32.843. Presidente regional do PRTB, Luiz Estevão terá o servidor da saúde Juarezão (PRTB) como aliado na Câmara Legislativa. Morador de Brazlândia, Juarezão foi convidado pelo empresário para entrar no partido. Da família com sobrenome Roriz, apenas Liliane (PRTB) se elegeu deputada distrital, com 16.745 votos. 
     
    O apoio de todos esses políticos não foi suficiente para levar Frejat ao palanque da vitória. Até a noite de 12 de setembro, uma sexta-feira, o médico era candidato a vice-governador na chapa encabeçada por José Roberto Arruda. Mas, com diversas derrotas na Justiça e sob pressão de aliados para desistir da candidatura, Arruda passou o bastão para o médico na tarde seguinte. No primeiro discurso, ao lado de Flávia Arruda (PR), candidata a vice, e de integrantes da coligação, Frejat prometeu melhorias na área da saúde, investimentos nas regiões mais pobres e cumprimento das promessas de Arruda. 
     
    Atrás nas pesquisas de intenção de votos, a última tática para conquistar o eleitorado foi a proposta de tarifa de R$ 1 para o transporte público a 10 dias da eleição. Arruda também tentou transferir votos para Frejat. Antes de desistir da candidatura, o ex-governador liderava as pesquisas com cerca de 35% da preferência do eleitorado. Arruda foi às ruas com Frejat pedir votos, ao mesmo tempo em que Frejat garantia que ele seria o responsável pelas decisões do governo.
     
    Tranquilidade
     
    Ontem, Jofran Frejat (PR) passou a tarde em casa, no Lago Sul, com a família. Tranquilo, conversou com a imprensa antes de a contagem dos votos começar e abriu a porta para aliados. A movimentação em frente à residência foi discreta. Por volta das 17h, ele seguiu para o comitê do partido, na EPTG. Lá, chegou sorridente e foi recebido com aplausos por militantes. A candidata a vice na chapa, Flávia Arruda, e o marido, José Roberto Arruda, chegaram pouco tempo depois.
     
    O candidato pelo PR agradeceu pelos mais de 600 mil votos e lembrou que em 40 dias conseguiu sair de uma preferência inexpressiva do eleitorado para o segundo turno. “Foram 600 mil que acreditaram no meu trabalho. Mas não importa quem ganha ou perde, o importante é Brasília”, disse. Frejat afirmou que a campanha curta pode ter contribuído para o resultado de ontem. “Se tivesse mais tempo e mais recurso, pode ser que fizesse diferença, não sei quais os elementos ou se uma combinação deles”, avaliou. 
     
    Frejat parabenizou o ganhador Rodrigo Rollemberg (PSB) e não acredita que o PR faça uma oposição ferrenha ao novo governo. “A preocupação é com Brasília e espero que a nova gestão seja positiva para o DF e olhe para os mais necessitados”, concluiu. Quanto ao futuro, Jofran disse que não faz planos. Flávia Arruda agradeceu a todos pelo apoio durante a trajetória da dupla na disputa pelo Buriti. 
     
    O ex-governador do DF José Roberto Arruda também esteve no comitê e disse que a corrida eleitoral foi difícil e disputada. “Frejat fez um grande papel, com muito empenho, emoção e garra. Mas o resultado deve ser respeitado, espero que os candidatos eleitos façam o melhor para o Brasil e para Brasília”, disse. Questionado se a saída dele da disputa ao Buriti e a substituição pelo Frejat influenciou nas eleições, ele foi categórico. “Mais uma vez o resultado sofreu influência do tapetão.”
     
    “Foram 600 mil que acreditaram no meu trabalho. Mas não 
    importa quem ganha ou perde, o importante é Brasília”
     
    “A preocupação é com Brasília e espero que a nova gestão 
    seja positiva para o DF e olhe para os mais necessitados”
     
    Jofran Frejat, 
    médico e ex-candidato do PR ao Governo do DF
     
     Com a saúde debilitada, Joaquim Roriz (PRTB) dedicou-se à eleição das filhas, Jaqueline e Liliane, e do neto, Joaquim Roriz Neto (PMN), colocado na disputa depois que a mãe, Jaqueline, foi impedida pela Justiça Eleitoral de tentar a reeleição à deputada federal. Na empreitada eleitoral, Joaquim Roriz pediu votos para os familiares. Mas apenas Liliane Roriz (PRTB) teve êxito e conseguiu uma vaga na Câmara Legislativa. 
     
    O deputado distrital Alírio Neto, presidente do Partido Ecológico Nacional (PEN) e com forte influência sobre o PHS, ficou como suplente de deputado federal. Embora tenha comandado a Secretaria de Justiça, no governo de Agnelo Queiroz (PT), ele manifestou apoio à candidatura de Jofran Frejat, no segundo turno do processo eleitoral.
     
    Luiz Estevão (PRTB) não disputou a campanha eleitoral, mas esteve ao lado dos grupos de Roriz e de Arruda grande parte do tempo da corrida, até ser preso pela Polícia Federal em cumprimento à pena de falsificação de documento público. Apesar disso, terá representatividade na Câmara Legislativa. Apoiado pelo empresário, o servidor da saúde Juarezão (PRTB) se elegeu com 15.923 votos. O deputado eleito é suplente de Benedito Domingos (PP) na atual candidatura.
    Fonte: Correio Braziliense. Por KELLY ALMEIDA, THAÍS PARANHOS e LUCAS FADUL

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Please enter your comment!
    Please enter your name here