Partido estuda deixar coligação do candidato Agnelo Queiroz

    14
    0
    COMPARTILHAR

    Quatro partidos reclamam que não têm recebido ajuda de Agnelo na campanha
    R7 Página Inicial

    Agnelo:debandada
     
    PTdoB estuda sair da coligação de Agnelo Queiroz (PT)
    Myrcia Hessen, do R7
    O candidato ao governo do Distrito Federal Agnelo Queiroz (PT) corre o risco de ver a sua coligação diminuída antes mesmo do fim do primeiro turno das eleições. O PTdoB no Distrito Federal fará uma reunião na noite desta terça-feira (23) para decidir se permanece na coligação Respeito por Brasília, já que, segundo o partido, não tem recebido ajuda para campanha de seus candidatos. A assessoria de Agnelo Queiroz nega a quebra do acordo. Segundo o presidente local da legenda, Paco Britto, a Executiva Nacional já recebeu um abaixo-assinado dos membros do DF pedindo para abandonar a campanha de Agnelo.
    —Fizeram pedidos para sair por compromissos não cumpridos. [Agnelo] não está ajudando na campanha [dos candidatos da legenda]. Ele [Agnelo] fez isso com todos os partidos, mas eu só posso falar pelo PTdoB. Eu vou me reunir com o vice-governador para falar que faremos essa reunião para decidir sobre a saída da coligação.
    Leia mais notícias no R7 DF
    Ibope: Rodrigo Rollemberg (PSB) lidera e Agnelo e Frejat estão empatados no DF
    Fontes do PHS (Partido Humanista da Solidariedade) também afirmam que o atual governador do DF Agnelo Queiroz não tem cumprido o que estava acordado com a legenda. Porém, a assessoria garante que o partido ficará com ele até o final do primeiro turno para honrar com o compromisso feito com a coligação Respeito por Brasília.
    O presidente do PEN-DF (Partido Ecológico Nacional do Distrito Federal), deputado Alírio Neto, também acusa a coligação de Agnelo de não honrar o compromisso que assumiu com a legenda. Porém, mesmo com vontade, Neto diz não ter condições de deixar a campanha do candidato neste momento, como possivelmente fará o PTdoB.
    — Eu vou honrar porque não seria ético da nossa parte não ir até o final. Mas, fica difícil sem ajuda. [Agnelo] assumiu o compromisso de nos ajudar, ainda assim o partido tem seguido por contra própria. O maior problema disso é que nossos candidatos não querem que coloque o nome do Agnelo [no material de campanha], porque ele não ajudou financeiramente. Para piorar, ele fez uma reunião, falou as datas do repasse e os candidatos nos cobraram, como se a gente tivesse recebido.
    O PSC (Partido Social Cristão) foi o único partido procurado pelo R7-DF que informou, por meio de sua assessoria, que tem sido sondado por outros candidatos, mas que pretende ficar na coligação de Agnelo Queiroz até o fim das eleições. Além disso, a legenda nega que a coligação Repeito Por Brasília tenha desonrado o comprimisso firmado com os partidos da coligação.
    — O Agnelo nos forneceu o horário eleitoral, temos recebido todo material de campanha. Estamos chegando no final da eleição e vamos continuar.
    Para o presidente do PTN-DF (Partido Trabalhista Nacional no Distrito Federal), Rodrigo Delmasso, mesmo sem receber ajuda do Agnelo, é difícil que as legendas deixem a coligação neste momento. Isso porque, segundo ele, não seria uma boa atitude.
    — A gente não pode [sair da coligação]. A gente vai ter que caminhar até o fim do primeiro turno. Agora, se ele [Agnelo] for para o segundo turno vai ser outra conversa porque ele só nos garantiu a gravação do programa de televisão, as outras coisas não. Estamos recebendo praticamente zero de ajuda e não sabemos o motivo. Mas, sair da base há 12 dias da eleição não dá. Vontade não falta.
    A coligação Respeito por Brasília, do governador Agnelo Queiroz, é formada por 16 partidos: PT, PMDB, PRB, PC do B, PRP, PPL, PV, PP, PTN, PT do B, PSC, PROS, PTC, PSL, PHS, PEN. Em nota enviada ao R7-DF, o governador garante ter honrado com todos os compromissos assumidos com a coligação.
    — Todos os partidos foram ajudados com material gráfico, adesivos para carro e toda estrutura para gravação e veiculação dos programas de rádio e TV dos candidatos a deputado federal e distrital. Além de receberem ajuda na campanha, todos os partidos participam do governo.
    Segundo o TSE, não existe na lei eleitoral ponto que proíba a legenda de deixar uma coligação. Na jurisprudência recente, nenhuma caso como este foi julgado, segundo o Tribunal. A regra pode ser criada segundo o julgamento da corte se Agnelo Queiroz entrar na justiça eleitoral contra os partidos.
    Debate Record
    Agnelo Queiroz já confirmou presença na próxima sexta-feira (26), às 22h30, no debate promovido pela Rede Record de televisão, onde poderá falar sobre este e outros assuntos eleitorais. O evento acontece no Memorial JK e será intermediado pelo apresentador do telejornal DF Record, Luiz Carlos Braga.
    O debate contará com uma plateia de autoridades, formadores de opinião e convidados dos partidos políticos. Ao todo, serão cinco blocos. O primeiro, segundo e quarto blocos serão idênticos, com confronto direto entre os candidatos no formato de pergunta, resposta, réplica e tréplica. No terceiro bloco, jornalistas da TV Record Brasília e do Portal R7 DF farão perguntas aos candidatos e escolherão um outro concorrente para comentar a resposta. No quinto bloco, será o momento para as considerações finais.

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Please enter your comment!
    Please enter your name here