Pitiman afirma que não desistiu de ser candidato

    17
    0
    COMPARTILHAR
    pitiman100O deputado federal Luiz Pitiman (PSDB) deixou claro, hoje (25), no Seminário Planejamento Estratégico da Juventude do PSDB, no Setor Comercial Sul, que não desistiu de ser pré-candidato a governador pelo partido. “O que eu disse, após ter ouvido mais de 130 pré-candidatos a deputado distrital e federal e os grupos mais tradicionais do partido, e de ter o apoio de mais de 95 por cento de todos, é que agora é a etapa de ouvir a minha família”, explicou.
    Pitiman disse que está refletindo profundamente com sua família. “Portanto, ninguém pode tirar conclusão por mim, até por que nunca afirmei que havia desistido de ser candidato”, destacou Pitiman.“Não estou na política para fazer carreira, mas por que acredito num ideal”, frisou Pitiman, acrescentando que na última semana – após ter afirmado que estava refletindo se seria ou não candidato –  foi procurado por todos os partidos que fazem oposição ao governo.
    Ele garante que conversou, entre outros políticos, com Rodrigo Rollemberg (PSB), Eliana Pedrosa (PPS), José Antônio Reguffe (PDT)  José Roberto Arruda (PR), Augusto Carvalho (Solidariedade) e integrantes da equipe do ex-governador Joaquim Roriz.
    “O sentimento geral é que todos precisam se unir e traçar as estratégias políticas em conjunto para ganharmos a eleição e ajudarmos a mudar a história de Brasília”, entende o deputado.
    Pitiman afirmou aos jovens: “não renunciei ao direito de ser candidato, até por que muita água vai passar por debaixo da ponte, uma vez que as convenções que vão escolher os candidatos serão realizadas a partir de 10 de junho”.
    Pegando como gancho o tema do seminário, Pitiman disse que sua postura de reflexão é “um planejamento estratégico”. Ele lamentou que dentro do PSDB outros pré-candidatos a governador tenham tirado conclusões erradas da sua manifestação.
    Se dirigindo aos jovens tucanos, Pitiman lembrou que diminuiu o número de eleitores na faixa etária de 16 e 17 anos. “Eram 3 milhões e agora são apenas 2 milhões, o que demonstra o desinteresse de uma parcela desses adolescentes pela política”, disse. Ele conclamou a juventude do PSDB a falar para o público externo, indo debater onde os jovens estão.
    Disse que o PSDB tem tudo para eleger o próximo governador do DF e que esse governador tem que criar uma Secretaria da Juventude, para traçar políticas para os jovens de 3 a 30 anos. O maior problema para o adolescente a partir dos 16 anos é, em sua opinião, o primeiro emprego.
    Se quiser chegar ao poder, frisou Pitiman, o PSDB terá que falar para esse jovem da periferia, que mora a 30, 35 quilômetros do Palácio do Planalto. O deputado teme que, pela falta de políticas públicas, esse primeiro emprego seja o de “aviãozinho do tráfico”. Os jovens, ainda segundo Pitiman, estão decepcionados com os políticos porque a classe política não está tendo competência para proporcionar trabalho para a juventude.
    Pitiman aproveitou para criticar o PT e a UNE (União Nacional de Estudantes). Segundo ele, o governo do PT não “entende nada de gestão pública”. O exemplo, para ele, é que não conseguiu erradicar a pobreza, não está conseguindo controlar a inflação, não está tendo competência de gerar empregos e, ao mesmo tempo, não presta os serviços básicos que a população precisa, que é uma boa saúde, segurança, educação e transporte. “Isso está claro por tudo que estamos vendo hoje no DF e no Brasil”. Quanto a UNE, disse que a entidade está “aparelhada e que agora é chapa branca e nada mais faz para os estudantes e jovens do país”.
    Pitiman lembrou que é autor do projeto Trabalhante, que atende a jovens de 16 a 21 anos e o da Mãe Crecheira, que beneficia crianças de 0 a 3 anos que moram nas áreas mais carentes, destinadas a atender filhos de mães trabalhadoras.

    fonte: http://donnysilva.com.br/?p=58093

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Please enter your comment!
    Please enter your name here