Raphael Ribeiro/Cedoc

O deputado distrital Wellington Luiz (PMDB) foi o escolhido para relatar a ação contra a deputada Sandra Faraj (SD) no âmbito da Mesa Diretora. Se o peemedebista der mesmo o “sim”, os colegas acreditam que o parecer dele deve ser pelo arquivamento da ação protocolado pela ONG Adote um Distrital. Neste processo, a parlamentar é acusada de uso indevido da verba indenizatória. “Ainda estou analisando a proposta da Mesa Diretora. Pode ser que aceite, mas vou decidir nesta quinta-feira”, explica o deputado, que é o vice-presidente da Câmara Legislativa.

Julgamento técnico

Wellington tem se manifestado com muita cautela com relação às acusações contra parlamentares, o que enseja que ele se manifestará contrário ao andamento da ação que pode culminar na perda de mandato da deputada do Solidariedade. O peemedebista diz que, se aceitar o encargo, fará um julgamento meramente técnico. “Não julgamos pessoas, julgamos fatos”, garante. “Meu gabinete é formado por agentes, delegados e advogados. Não iremos nos ater à questão pessoal, até por que não cabe viés político nessa situação. Se o que estiver nos autos for suficiente para pedir encaminhamento da ação, o faremos; se não, pediremos o arquivamento”, continua.

Tudo a seu tempo

Mais uma denúncia envolvendo agrava a situação da deputada: uma ex-servidora do gabinete dela acusa a parlamentar de demiti-la grávida e falsificar a assinatura dela no pedido de demissão. O fato novo não deve atrasar a análise da ação que já tramita na Casa pela Mesa Diretora. Uma coisa, diz o vice-presidente e futuro relator do caso, nada tem a ver com a outra. “São processos distintos. Se eu for o relator mesmo, vou estar com meu parecer pronto até segunda”, promete. Segunda-feira é o dia em que os deputados que comandam a Casa devem apreciar os achados do relator e decidir pela continuidade ou não da ação. Fonte: Jornal de Brasilia.

Informa Tudo DF